Dados

JOTA/Quaest

Crise no Planalto: 67% acham que Moro agiu certo e 60%, que ele disse a verdade

Enquanto 15% disseram acreditar no presidente Jair Bolsonaro, 46% disseram acreditar na versão de Moro

Moro
O presidente Jair Bolsonaro e o então ministro da Justiça Sergio Moro / Crédito: Marcos Corrêa/PR
Uma versão mais completa deste conteúdo foi distribuída antes, com exclusividade, aos nossos assinantes JOTA PRO

Na pesquisa feita pelo JOTA em parceria com a Quaest, no último final de semana, a maior parte da população acredita mais em Sergio Moro do que no presidente Jair Bolsonaro (sem partido), e acha que o ex-ministro agiu com ética ao anunciar a saída do governo. Foram feitas diversas perguntas para captar o que ocorreu.

O primeiro fato interessante é que 92% das pessoas já sabiam da demissão de Moro, enquanto apenas 8% disseram não saber. No total, 67% disseram que Moro agiu certo, enquanto 18% disseram que o ex-ministro agiu errado e 15% disseram não saber.

Para 60%, as afirmações que Moro fez durante entrevista coletiva são verdadeiras, enquanto 13% disseram que são falsas e 27% não souberam responder. Os dados com informações por sub-grupos, como religião, sexo, idade, renda e em quem a pessoa votou em 2018 fazem parte do relatório enviado ao JOTA Pro.

Para 57%, Moro agiu de forma ética e correta, enquanto 26% disseram que o ex-ministro agiu por interesse próprio. Outros 17% não souberam responder.

 

Versões

Enquanto 46% disseram acreditar nas falas de Moro, 15% disseram acreditar no presidente Jair Bolsonaro e outros 27% disseram não acreditar em nenhum dos dois. Os 12% restantes disseram não saber.

A pesquisa também testou o que os respondentes acham das consequências políticas da saída de Moro. Enquanto 52% acham que ela enfraquece muito o governo Bolsonaro e 24% acham que enfraquece, mas não muito, por outro lado, 6% acham que fortalece, mas não muito, e 5% acham que fortalece muito.