Saúde

Anvisa

Anvisa pede suspensão de cruzeiros após ‘aumento vertiginoso’ de Covid-19 a bordo

Desde agosto, agência recomenda que a temporada não seja realizada. Agora, indica descumprimento de medidas sanitárias

Foto: Pexels

Para enfrentar o momento atual da pandemia, em que há aumento de contaminações, a Anvisa recomendou ao governo federal a suspensão definitiva da temporada de cruzeiros no Brasil, em nota técnica desta quarta-feira (12/1).

Segundo a agência, houve um “aumento vertiginoso” em infecções por Covid-19 a bordo das embarcações nos últimos dias. Nos primeiros 55 dias da temporada, até o Natal, houve 31 casos. De 26 de dezembro a 6 de janeiro, foram registrados 1.146 casos, um aumento de 37 vezes na comparação entre os períodos. Há cinco embarcações em operação.

Além de evitar o espalhamento da variante ômicron, outra razão para a recomendação seriam indícios de descumprimento de medidas sanitárias pelos navios e inconsistência nos relatos das embarcações sobre os números de casos confirmados, suspeitos e de contatos próximos.

“Os dados obtidos pela avaliação dos cenários epidemiológicos das embarcações, considerando-se os critérios objetivos definidos pela Portaria do Ministério da Saúde, demonstram que, das cinco embarcações em operação no Brasil, três estão classificadas no Nível 04, sinalizando cenário de alerta”, afirma a nota técnica.

Esse é o último nível considerando os graus de risco, quando há transmissão comunitária de Covid-19 entre viajantes, ou ocupação de ao menos 90% do número de acomodações de isolamento, ou igual volume dos leitos do centro médico disponíveis.

Desde o início da temporada, em novembro, houve 670 casos de Covid-19 entre tripulantes, o que representa 57% dos casos positivos a bordo das embarcações. “Por se tratar de viajantes com maior período de permanência nas embarcações, a ocorrência de infecção entre a tripulação agrega maior grau de risco às operações dos navios”, afirma a nota.

Em dezembro, após casos de contaminação em navios, a Anvisa já havia recomendado que a temporada fosse suspensa preventivamente. Antes, em agosto, a agência tinha se manifestado em ofício contrariamente à retomada da temporada de navios de cruzeiro, que deveria ter como condição a melhoria do cenário de Covid-19.

Conforme destaca a agência no documento mais recente, durante discussões para a regulamentação de regras para as operações de navios de cruzeiro, a área técnica insistiu sobre as incertezas em relação ao controle epidemiológico a bordo. Em seguida, uma portaria do Ministério da Saúde autorizou a operação de navios de cruzeiro a partir de novembro de 2021, levando em conta o cenário de pandemia à época.