Mercado

Carf

Ministério da Economia arquiva processo administrativo contra Bradesco na Zelotes

Corregedoria da pasta apurava se instituição financeira pagou propina a agentes públicos

Ex-presidente do Bradesco, Luiz Trabuco
Ex-presidente do Bradesco, Luiz Trabuco | Foto: Isaac Amorim

A Corregedoria do Ministério da Economia arquivou um processo administrativo contra o Bradesco, concluindo que o banco não pagou propina a agentes públicos envolvidos na operação Zelotes, que apura venda de votos no âmbito do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf).

Segundo divulgado no Diário Oficial da União, a decisão que determinou o arquivamento acolheu integralmente o Relatório Final da Comissão Processante, um parecer da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional e o Despacho Conjunto da Coordenadoria Geral de Gestão e Administração e da Chefia da Divisão de Assessoria e Julgamento, “que consagraram expressamente o reconhecimento da inexistência de prova de que o Bradesco tenha prometido, oferecido ou dado, direta ou indiretamente, vantagem indevida aos agentes públicos envolvidos na chamada ‘Operação Zelotes’”.

No âmbito penal, o ex-presidente da instituição financeira Luiz Carlos Trabuco Cappi foi acusado pelo Ministério Público Federal por corrupção ativa e passiva no âmbito da Zelotes, mas a ação foi trancada pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região. Em 2018, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve o arquivamento.


Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito