Mercado

Sistema Financeiro Nacional

Diretora da Cosan, sócio do Spinelli e advogado da Petrobras disputam vaga no CRSFN

Escolhidos pela Abrasca passarão por análise de CV e entrevistas em comitê recém-criado pelo órgão

CRSFN
Crédito: Fotos Públicas

A diretora jurídica da Cosan, Maria Rita Drummond, o sócio do Spinelli Advogados Luis Arthur Terra Alves e o advogado da Petrobras Igor Muniz disputam a vaga da Associação Brasileira das Companhias Abertas (Abrasca) no Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional (CRSFN)

O JOTA teve acesso à lista tríplice da associação, ainda não divulgada oficialmente pelo CRSFN. Os três indicados serão os primeiros a serem avaliados pelo recém-criado Comitê de Avaliação e Seleção (CAS).

O “Conselhinho” é um órgão do Ministério da Fazenda responsável por julgar em segunda instância administrativa recursos de decisões da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), do Banco Central e do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). Seu plenário é formado por oito membros, sendo quatro da iniciativa privada e quatro do setor público.

Desde 2008, Maria Rita Drummond é responsável pela área de Mercado de Capitais, Financeiro, Societário e Compliance da Cosan. Formada em Direito pela PUC-RJ, também estudou economia e ciência política na faculdade de Londres.

Luís Arthur Terra Alves é sócio do Spinelli Advogados desde abril de 2018, responsável pela área de Direito Empresarial da banca. Foi associado do Pinheiro Neto de 2010 a 2018, e é formado em Direito e Administração pela USP e FGV, respectivamente. Tem mestrado em Direito Societário e Bancário pela Universidade da Pensilvânia.

Igor Muniz é advogado interno da Petrobras, também presidente da Comissão de Mercado de Capitais da OAB-R. Na estatal, atualmente é assessor do diretor Financeiro e de Relacionamento com Investidores. Graduado em Direito pela UFRJ, com pós em Tributário. Fez MBA Executivo em Administração de empresas na UFRJ.

O comitê será composto por seis membros: um representante da Fazenda, um da CVM, um do Banco Central, um da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional e, por último, dois da Confederação Nacional das Instituições Financeiras (CNF). Após avaliação do CAS, um relatório final será submetido ao ministro da Fazenda, responsável pela indicação final ao CRSFN.

A vaga da Abrasca no CRSFN está aberta desde o início do ano, quando o advogado Flávio Maia encerrou seu mandato no “Conselhinho”.


Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito