Dados

Experimento

Ligar reforma administrativa à economia não muda posição de parlamentares

Mesmo assim, maioria dos parlamentares é a favor de uma reforma administrativa

reforma administrativa
Crédito: CNJ/Divulgação
Uma versão mais completa deste conteúdo foi distribuída antes, com exclusividade, aos nossos assinantes JOTA PRO

O argumento de que uma reforma administrativa pode ajudar na retomada do crescimento econômico não convence os deputados. A conclusão está em um estudo experimental que o JOTA Labs incluiu na mais recente pesquisa parlamentar. Mesmo assim, pelo menos dois terços dos deputados estão dispostos a apoiar algum tipo de reforma administrativa – a questão é saber que pontos práticos ganham apoio da maioria.

O teste foi conduzido da seguinte forma. De forma aleatória, metade da amostra de deputados foi escolhida para receber a seguinte pergunta:

“O sr. (a) é a favor ou contra uma Reforma Administrativa que permita flexibilizar a jornada de trabalho ou corte de salários de servidores dos entes que estiverem no limite da LRF?” 

Nesse grupo de controle, 68,8% se disseram a favor de uma reforma administrativa, 23% se disseram contrários e 8% disseram não ser nem a favor nem contra.

Um segundo grupo de deputados, também selecionado de forma aleatória, recebeu uma mensagem um pouco diferente, com um tratamento incluído:

“O sr(a). é a favor ou contra uma Reforma Administrativa que permita flexibilizar a jornada de trabalho ou corte de salários de servidores dos entes que estiverem no limite da LRF, o que segundo o Ministério da Economia pode ajudar na retomada do crescimento?

Os resultados nesse grupo são muito parecidos, o que mostra que o tratamento não surtiu efeito. Enquanto 68,9% se disseram a favor, 23% falaram ser contra e 7,9% nem a favor nem contra.

Os dados mostram que, pelo menos em teoria, os deputados estão dispostos a apoiar uma reforma administrativa.

Nos próximos dias, o JOTA irá divulgar perguntas específicas de um projeto, para mostrar o apoio a questões práticas, como fim da estabilidade de servidores, salários mais próximos da iniciativa privada, redução do número de carreiras e avaliação de desempenho mais rigorosas.

Privatizações

Além de abordar a opinião dos deputados sobre a reforma administrativa, a pesquisa parlamentar do JOTA já mostrou que os deputados federais têm visões distintas sobre a privatização de diferentes estatais. A pesquisa mostrou que 54,5% dos parlamentares apoiam a desestatização da Eletrobras — 40,8% dos deputados são contrários e 4,7% “nem contra nem a favor”.

A maioria é contra privatizar a Caixa. Além disso, menos da metade dos deputados apoia a privatização da Petrobras.

Os deputados também mostraram que estão divididos quanto à privatização dos Correios e mais da metade rejeita a hipótese para o Serpro.

A pesquisa parlamentar, que mostrou que 71% dos deputados acreditam numa aprovação da reforma tributária no primeiro semestre deste ano, também captou o sentimento de deputado em relação a benefícios fiscais em diversos setores em uma eventual reforma tributária.

Mais de 70% dos deputados se disseram a favor de benefícios fiscais para medicamentos e 54%, a planos de saúde.

Em outras áreas, a pesquisa parlamentar identificou que 64% dos parlamentares se declararam favoráveis a benefícios fiscais para operações com alimentos, 66%, a benefícios fiscais para o setor de saneamento básico, e 67% apoiam benefícios fiscais ao transporte público coletivo urbano. Além disso, 76% dos parlamentares são favoráveis a incentivos fiscais para o setor de educação.


Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito