Legislativo

MAPA PARLAMENTAR

PSB se manteve neutro em relação ao governo na maior parte de 2019

Ao se considerar governismo como mais de 50% de apoio a propostas alinhadas ao Planalto, partido revela racha

Plenário do Senado Federal durante sessão não deliberativa./ Crédito: Pedro França/Agência Senado

O PSB se manteve em posição neutra na maior parte das votações do ano de 2019 na Câmara dos Deputados. O partido apresentou forte oposição somente na reforma da Previdência. Entretanto, durante essa votação, a sigla também externou divergências internas que culminaram com pedidos de expulsões de 8 parlamentares.

Já em relação à reforma tributária, o partido segue a mesma posição do ano passado: neutra. Somente três parlamentares apresentam uma posição contrária em relação à proposta que está em discussão, a PEC 45. O mesmo número de deputados apresentam posições à favor da reforma.

Mapa parlamentar

O mapa desenvolvido pelo JOTA mostra a “dança” semanal dos parlamentares. É possível organizar a visualização por partidos e estados, semana a semana. A ferramenta permite ainda mudar os limiares (thresholds) para considerar um deputado governista, neutro ou oposição.

Por padrão, os deputados com mais de 80% de apoio ao governo são pintados de azul, aqueles com menos de 20%, de vermelho, e os entre os dois pontos, de cinza. Mas cabe ao usuário definir essas regras, mudando os placares semanais.

Porém, se a ferramenta for utilizada de maneira a considerar como governista quem se posicionou favorável em mais de 50% das votações, o mapa mostra um racha dentro do partido: praticamente metade da bancada se comportou de maneira contrária à outra metade dos deputados. Isso pode ser visto no vídeo abaixo, que mostra a ferramenta em uso:

Mapa <span class=jota>JOTA</span>
Mapa parlamentar do PSB

Essa divergência de oposição é carregada por deputados descontentes com a sigla. Alguns, inclusive, já têm conversas com outros partidos para filiação. É o caso de Felipe Rigoni (ES), que sofreu punição junto com mais sete deputados do partido que votaram a favor das mudanças nas regras de aposentadoria.

Rigoni, inclusive, é um parlamentar cobiçado pelo Cidadania, sigla que adotou esse ano a posição de não punir deputados divergentes da orientação do partido. O partido também já revelou interesse em atrair outro socialista: o ambientalista Rodrigo Agostinho (SP), também punido no PSB.

Já os dois parlamentares que mais apresentaram posições contrárias ao governo de Bolsonaro em 2019 foram justamente do líder da oposição, Alessandro Molon (RJ), e Lídice da Mata (BA), com 26% e 29%, respectivamente, de “governismo”.


Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito