Jotinhas

Procurador da Fazenda

Casa Civil nomeia procurador da Fazenda para equipe de transição de Bolsonaro

Marcos Aurélio Carvalho, sócio de maior fornecedora de campanha, também está no time. Nenhuma mulher foi nomeada

procurador da Fazenda
Procurador da Fazenda Nacional Sérgio Augusto de Queiroz, em entrevista à TV Correio | Reprodução/YouTube

Na lista de 27 pessoas que vão trabalhar na equipe de transição do governo do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), há um membro da Advocacia-Geral da União (AGU).

A Casa Civil nomeou na última segunda-feira (5/11), em edição extra do Diário Oficial da União, o procurador da Fazenda Nacional Sérgio Augusto de Queiroz para compor a equipe de transição de Bolsonaro. O futuro governo ainda não anunciou quem assumirá a AGU.

Sérgio Augusto de Queiroz atua na Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), lotado no estado da Paraíba. Queiroz trabalha principalmente em processos de Direito Tributário que envolvam a Fazenda Nacional na Justiça Federal do estado da Paraíba. De acordo com interlocutores ouvidos pelo JOTA, após a nomeação Queiroz foi elogiado por colegas por ter um “histórico excelente”.

Em entrevista concedida nesta segunda-feira (5/11) à TV Correio, de João Pessoa, Queiroz disse que trabalharia na equipe de transição em função ligada à Casa Civil. “Nesse primeiro momento eu devo trabalhar colaborando de maneira múltipla, trazendo informações e contribuições de maneira múltipla, mas muito possivelmente mais ligado ao setor da Casa Civil”, declarou.

Na entrevista, Queiroz também disse que começou a conversar com Bolsonaro há dois anos e meio. Nesse período, segundo ele, os dois trataram de temas como o tamanho do Estado, a burocracia brasileira, a experiência de Queiroz em 25 anos de serviço público, cotas sociais e pautas ligadas ao Nordeste.

Não há mulheres entre os 27 nomeados para a equipe de transição de Bolsonaro. Um dos escolhidos de Bolsonaro é Marcos Aurélio Carvalho, um dos sócios da AM4, maior fornecedora de campanha de Bolsonaro, a um custo de R$ 650 mil.

A lista inclui ainda nomes confirmados como futuros ministros, como Paulo Guedes. O economista deve comandar o superministério da Economia, que une Fazenda, Planejamento e Indústria, Desenvolvimento e Comércio Exterior.

Também foi nomeado o general da reserva Augusto Heleno Ribeiro Pereira, que assumirá a Defesa, e o astronauta Marcos Pontes, da Ciência e Tecnologia. A equipe de transição será coordenada pelo ministro extraordinário Onyx Lorenzoni, nomeado nesta segunda-feira em publicação do Diário Oficial da União.


Faça o cadastro gratuito e leia até 10 matérias por mês. Faça uma assinatura e tenha acesso ilimitado agora

Cadastro Gratuito

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito