Jotinhas

COMUNICAÇÃO

Luiz Orlando Carneiro, decano do JOTA, é homenageado pelo CNJ

Jornalista, que acompanha o Supremo há 25 anos, foi reconhecido como um dos comunicadores do Judiciário

Foto: Luiz Silveira/CNJ

O repórter Luiz Orlando Carneiro, 81, jornalista decano do JOTA, foi homenageado nesta quinta-feira (05/12) durante o 3º Encontro Nacional de Comunicação do Poder Judiciário, promovido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Luiz Orlando Carneiro, que cobre jornalisticamente o Supremo Tribunal Federal (STF) desde 1994, foi considerado um dos comunicadores no Judiciário. Ele recebeu a homenagem das mãos do presidente da Corte, ministro Dias Toffoli.

Outro homenageado do evento foi o fotógrafo Gervásio Baptista, que, com 96 anos de carreira, faleceu neste ano fotografando os meandros da Suprema Corte brasileira.

O decano do JOTA começou a trabalhar na redação do Jornal do Brasil em outubro de 1958 como repórter-estagiário. Após ocupar diversos cargos, como chefe de reportagem, desembarcou em Brasília na década de 1980 e voltou a ser repórter, com a missão de iniciar uma cobertura de STF.

Além de cobrir o Supremo, Luiz Orlando ainda é colunista de jazz do JOTA. Em 1965, participou da fundação do Clube de Jazz e Bossa, ao lado de Jorge Guinle, Ricardo Cravo Albin, Ary Vasconcelos, Sérgio Porto, Vinicius de Moraes e Tom Jobim.

Aos 81, Luiz Orlando Carneiro continua, diariamente, cobrindo julgamentos, bastidores e conflitos do Supremo.


Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito