Jotinhas

Decisão sobre afastamento de Cunha ficará para 2016

Recesso do Supremo começa amanhã (18/12)

Ficará para o próximo ano a apreciação do pedido de afastamento do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, feito pela Procuradoria-Geral da República. O Supremo Tribunal Federal entra em recesso amanhã (18/12) e só retorna ao trabalho em 1º de fevereiro de 2016.

De acordo com o STF, o pedido tem 200 páginas. Não há, portanto, tempo hábil para o relator do caso, ministro Teori Zavascki, analisar os fatos com a devida atenção e levar o caso ao pleno, que se reúne amanhã pela última vez no ano.

O pedido de afastamento foi encaminhado ontem ao Supremo. Segundo o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, Cunha vem utilizando de seu cargo para servir a interesse próprio e objetivando fins ilícitos.

+ JOTA: Conheça os fundamentos do pedido de de afastamento de Cunha, feito pela PGR


Faça o cadastro gratuito e leia até 10 matérias por mês. Faça uma assinatura e tenha acesso ilimitado agora

Cadastro Gratuito

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito