Eleições

Novo governo

Após convite de Bolsonaro, Sergio Moro formaliza afastamento da Lava Jato

Pedido de exoneração da magistratura só deve ocorrer às vésperas da posse do presidente eleito

Foto: Pedro de Oliveira/ ALEP

O juiz federal Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba (PR), formalizou nesta segunda-feira (5/11) à Corregedoria Regional da Justiça Federal da 4ª Região pedido de férias. Com isso, o magistrado se afasta da Operação Lava Jato, que o notabilizou por mais de quatro anos. A licença é motivada pela decisão do juiz de assumir o Ministério da Justiça do governo Bolsonaro a partir de janeiro.

Moro deve pedir exoneração da magistratura às vésperas de posse. No comunicado à corregedoria, o magistrado afirma que as férias têm o objetivo de evitar controvérsias desnecessárias. “Reputo salutar afastar-me da jurisdição dos casos judiciais relacionados à Operação Lava Jato, com o que evitar-se-á controvérsias desnecessárias. Assim, pretendo tirar a partir da presente data as várias férias que acumulei durante meu período de magistrado em decorrência das necessidades do serviço”, escreveu.

Moro afirmou ainda que usará o tempo para se dedicar aos planos para a nova função no Executivo. “As férias também permitirão que inicie as preparações para a transição de governo e para os planos para o ministério”, concluiu.

Com o afastamento de Moro, a juíza substituta  Gabriela Hardt assume os processos da Operação Lava Jato. Só após a exoneração de Moro é que o Tribunal Regional Federal da 4ª Região vai abrir concurso de remoção para que um juiz titular se apresente para ficar com a cadeira de Moro na 13ª Vara. Qualquer juiz federal titular do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul pode se inscrever no processo seletivo.

 


Faça o cadastro gratuito e leia até 10 matérias por mês. Faça uma assinatura e tenha acesso ilimitado agora

Cadastro Gratuito

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito