Inova&Ação

Direito

Prêmio Innovare 2020 terá inscrições abertas no dia 3 de março

Categoria destaque da 17ª edição do prêmio avaliará a melhor prática com o tema ‘Defesa da Liberdade’

Prêmio Innovare
Prêmio Innovare / Crédito: Gláucio Dettmar

A 17ª edição do Prêmio Innovare abrirá inscrições no dia 3 de março. Em 2020, o prêmio Destaque irá para uma prática que tenha como tema a “Defesa da Liberdade”. Todas as outras categorias (Tribunal, Juiz, Ministério Público, Defensoria Pública, Advocacia e Justiça e Cidadania) terão tema livre.

Outra novidade é a criação de mais uma categoria, a CNJ/Gestão, com práticas relacionadas à área de gestão e que serão indicadas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

A data de abertura das inscrições foi anunciada na última quarta-feira (12/2), durante a reunião do Conselho Superior do Instituto Innovare, em Brasília, com a diretoria Sergio Renault, Antônio Claudio Ferreira Neto e Pedro Freitas e do presidente do Conselho, ministro Ayres Britto.

A diretoria do Innovare divulgou uma nota, durante a reunião, explicando o motivo da escolha do tema:

“A liberdade é um dos valores mais importantes da civilização. Sem ela, ninguém jamais será plenamente realizado, como indivíduo ou membro da comunidade. Embora todos reconheçam seu valor, a liberdade sofre ameaças de diversas naturezas. A Constituição Federal contém 19 menções à palavra liberdade e, já em seu preâmbulo, a reconhece como um dos “valores supremos” da sociedade. Zelar pela liberdade é dever de todos e muitos têm se dedicado a defendê-la. Por isso, o Instituto Innovare premiará este ano a prática que mais contribua para a realização dessa garantia fundamental.

Nas suas diversas nuances, a liberdade é essencial para uma vida digna. Liberdade de ir e vir, de pensamento, de expressão, de imprensa, de manifestação, de reunião, econômica, de empreender, religiosa, de exercício profissional, de associação, de orientação sexual, ou, simplesmente, Liberdade. O tema do Prêmio Innovare em sua 17ª edição é uma homenagem a todos os que se dedicam à Defesa da Liberdade”.

“A Constituição, ao mencionar seus valores supremos, começa com a liberdade e termina com a Justiça, de modo que primeiro vem a liberdade, a possibilidade de autodeterminação, e por último, se for preciso, a Justiça”, afirmou o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Carlos Ayres Britto, presidente do Conselho Superior Innovare.


Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito