Lifestyle

Greve dos servidores

Copos descartáveis podem contaminar o sabor do café

Vidro e porcelana retêm aroma e sabor por mais tempo

Olhando dos dois lados — do ponto de vista da responsabilidade ambiental e do sabor do café — os copinhos descartáveis já deveriam ter sido banidos dos escritórios de advocacia, das repartições públicas, da vida do consumidor.

Feitos de matéria-prima conhecida por poliestireno, os copinhos descartáveis, quando entram em contato com o café quente, liberam toxinas que podem fazer mal ao organismo e contaminam o sabor da bebida.

Já por aí, com esses dois argumentos, um ambiental e outro de interferência no paladar, temos bons motivos para trocar o copo descartável por xícaras de porcelana, mesmo que sejam aquelas vendidas no “saldão”, do quiosque de R$ 1,99 ou até mesmo um copo americano. Sem esquecer o lixo que se acumula.

Na ponta do lápis, imagine uma empresa com 500 colaboradores, que é o nome dado pelo pessoal de Recursos Humanos, aos empregos. Pois bem, essa turma, usando copos descartáveis, utiliza por ano, cerca de meio milhão de copos.

Interferência no sabor

Copos de vidro ou xícaras de porcelana retêm mais o calor do líquido quente, demoram a esfriar. Consequentemente, o aroma e o sabor do café são mantidos por mais tempo. Por outro lado, o copinho descartável quando entra em contato com a fragilidade da pele dos lábios pode provocar pequena queimadura que, mesmo não causando danos, interfere na concentração de quem está tomando o líquido.

Tomar café é uma alquimia. Você prepara a mente quando vai saborear a bebida. Os sentidos são aguçados, esperando as “informações”. O aroma, o sabor, a cafeína. Logo, quanto menos interferência exterior, melhor. Quando você vai tomar um café, nesses copinhos descartáveis, você passa informações à mente como cuidados para não se queimar e esses temores poderiam ser revertidos em concentração para tomar um bom café.

Café & Conversa


Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito