Mercado

Banco Central

BC condena Confidence Câmbio por falta de medidas de combate a lavagem

Além de multa aplicada à instituição financeira, dois diretores foram inabilitados pelo Banco Central

Confidence Câmbio
Crédito: Agência Brasil

O Banco Central condenou a Confidence Câmbio e dois de seus diretores por falhas em medidas de prevenção à lavagem de dinheiro (PLD) e combate ao terrorismo em relação à fiscalização de clientes que detinham contas em moeda estrangeira dentro da instituição financeira.

Além da Confidence, multada em R$ 2,1 milhões e em U$S 73 mil (valor ainda a ser convertido), o BC aplicou pena de inabilitação aos diretores responsáveis pelas operações. Andreas Michael Wiemer e Álvaro Luis Machado de Oliveira estão proibidos de atuar no mercado durante sete anos e 12 meses, respectivamente.

Investigação conduzida pela área técnica do BC identificou que a Confidence e seus diretores cometeram duas irregularidades além da falta de procedimentos para conhecer as áreas de compliance de seus clientes: falha na verificação de movimentação financeira das corretoras que detinham contas em dólar dentro da instituição e falta de comunicação dessas operações suspeitas ao Coaf.

Após afastar as preliminares de individualização de conduta e suposta nulidade levantadas pela defesa da Confidence e dos diretores, o BC classificou que a instituição não fiscalizava os procedimentos de prevenção por parte dos clientes da maneira correta.

A autoridade monetária identificou que não houve manifestações suficientes nos autos por parte da Confidence Câmbio em relação ao compliance adotado por parte das clientes que detinham conta junto à instituição.

Em relação à falta de fiscalização da movimentação financeira nas contas dos clientes na Confidence, a autarquia entendeu que a instituição não monitorou corretamente a entrada dos recursos, com insuficiência na deflagração de alertas enviados aos clientes ou cancelamento das contas.

Por último, o Banco Central identificou que a instituição deixou de comunicar ao Coaf 11 operações que apresentavam suspeitas de lavagem de dinheiro.

“A Confidence contribuiu para gerar indisciplina no mercado financeiro”, disse o relator Climério Leite Pereira, que julgou o processo no âmbito do Comitê de Processo Administrativo Sancionador (Copas) do Banco Central.

Seu voto foi acompanhado por Carolina Pancotto Bohrer e pelo diretor de Fiscalização do BC, Paulo Sérgio Neves de Souza.

Com a condenação em primeira instância da Confidence e dos dois diretores, cabe recurso ao Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional (CRSFN).

Outro lado

O JOTA procurou a Confidence Câmbio, que não se manifestou até a publicação desta reportagem.

Nos autos, a instituição negou as acusações da área técnica do Banco Central, destacando que seu setor de compliance fez tudo o que estava ao seu alcance para barrar as operações suspeitas.

A Confidence também afirmou que cancelou contas de clientes identificadas como suspeitas.


Faça o cadastro gratuito e leia até 10 matérias por mês. Faça uma assinatura e tenha acesso ilimitado agora

Cadastro Gratuito

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito