Pesquisas

Base de Bolsonaro está dividida sobre invasões, aponta AtlasIntel

Depredações em Brasília enfraquecem a causa da extrema direita no país e têm potencial de moderar a oposição no Congresso

patrino
Golpistas invadem o prédio do STF durante atos terroristas em Brasília. Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Os ataques ocorridos em Brasília no último domingo (8/2) enfraquecem a causa da extrema direita no país e têm potencial de moderar a oposição no próximo Congresso. JOTA está acompanhando ao vivo os desdobramentos das invasões do Congresso, Senado e STF.

Dados da pesquisa divulgada hoje pela consultoria AtlasIntel, feita com 2.200 eleitores, indicam que a base de apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) está bastante dividida sobre as invasões e depredações nas sedes dos Três Poderes. Entre seus eleitores, 38% disseram que aprovam, contra 49% que desaprovam as ações dos radicais.

Estes primeiros números revelam que a maior parcela dos apoiadores do ex-presidente que expressaram sua opinião é contrária. Essa divisão deve se refletir também na Câmara e no Senado, moderando os radicais dentro da oposição. O que fortalece politicamente a imagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), num momento que ele mais precisa.

Lula é o presidente em início de mandato com a menor taxa de expectativa positiva junto à população. A primeira semana do novo governo tinha sido marcada por ruídos em áreas-chave, como economia e trabalho, e desgaste de imagem envolvendo a ministra do turismo, Daniela Carneiro (União).

Se esse quadro permanecer, é muito provável que além da cisão no campo conservador, ocorra também algum esgotamento do potencial de mobilização bolsonarista, em termos de estratégias e narrativas nas redes ou fora delas.