Lifestyle

Cinema

CineJOTA: O povo contra Larry Flynt

Publisher encarou batalhas judiciais contra religiosos e organizações de direita

Divulgação

Quando Milos Forman, cineasta tcheco radicado nos Estados Unidos, dirigiu O Povo Contra Larry Flynt em 1996, não imaginou que seu filme continuaria tão atual. O roteiro que ele tinha, escrito por Scott Alexander e Larry Karaszewski, se inspirava na vida do editor da revista pornográfica Hustler, muito popular nos anos 1970. Flynt fundou e presidiu a Larry Flynt Publications (LFP). Além da revista, a sua empresa produzia vídeos pornôs.

Misturando comédia com drama de tribunal, o filme utiliza a figura de Flynt, vivido de maneira estupenda por Woody Harrelson, para tratar de um tema maior: a liberdade de expressão. Flynt sempre provocou polêmicas e encarou inúmeros processos, ou melhor, verdadeiras batalhas judiciais em que enfrentou grupos religiosos e organizações de direita que não aceitavam e queriam proibir a LFP de produzir seus produtos.

Alvo de ameaças constantes, chegou até a sofrer um atentado em 1978. Naquele ano, Joseph Paul Franklin, defensor da supremacia branca, lhe deu um tiro que o deixou paralítico. O motivo: ele não havia gostado de uma sessão de fotos publicada na Hustler mostrando um homem negro com uma mulher branca, ambos nus.

Milos Forman, como excelente diretor que é, explora todas as nuances da personalidade de Flynt e faz uso dos excessos do mesmo para defender seu ponto de vista. Com muita ironia e bom humor, o cineasta conta ainda com um elenco de apoio inusitado. Nele se destacam Edward Norton, que faz o advogado de Flynt; a cantora Courtney Love, viúva de Kurt Cobain, da banda Nirvana, como sua esposa; e o próprio Larry Flynt, que faz uma ponta no papel do juiz Morrissey.

No final, Flynt se revela um grande defensor não apenas da liberdade de expressão, mas, principalmente, da liberdade. E isso me lembra a frase que encerra o curta-metragem Ilha das Flores, de Jorge Furtado: “Livre é o
estado daquele que tem liberdade. Liberdade é uma palavra que o
sonho humano alimenta, que não há ninguém que explique e ninguém
que não entenda”.

O POVO CONTRA LARRY FLYNT (The People vs. Larry Flynt – EUA 1996). Direção: Milos Forman. Elenco: Woody Harrelson, Edward Norton, Courtney Love, James Cromwell, Crispin Glover, Vincent Schiavelli e Norm MacDonald. Duração: 129 minutos. Distribuição: Columbia.

+CineJOTA: Leia todas as colunas já publicadas

 


*Marden Machado é jornalista desde 1983. Comentarista de cinema do programa Light News, da Transamérica Light FM, e da Rádio CBN Curitiba, bem como dos programas Caldo de Cultura, da UFPR TV e Fale Com Maria, de TV Evangelizar. Além disso, é autor do livro Cinemarden: Um Guia (possível) de Filmes, lançado pela Editora Arte e Letra; tem um canal no You Tube e comenta um filme por dia em seu blog.


Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito