Justiça

Sucessão de Dodge

Augusto Aras é indicado por Bolsonaro para assumir PGR

Ao se colocar na disputa fora da lista tríplice, Aras se apresentou como um candidato ‘antissistema’

Augusto Aras
Antônio Augusto Brandão de Aras, o novo PGR Crédito: Roberto Jayme/Ascom/TSE

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) indicou o subprocurador geral Augusto Aras como novo Procurador Geral da República (PGR). A indicação foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União. O próximo passo é uma sabatina no Senado.

Com a escolha, o presidente quebra a tradição de seguir a lista tríplice da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) na indicação do PGR. Desde 2003, todos os presidentes escolheram um nome da lista.

O mandato de Raquel Dodge termina no dia 17 de setembro e caso Aras não seja aprovado pelo Senado até lá, quem assume interinamente é o subprocurador Alcides Martins, presidente do Conselho Superior do Ministério Público Federal (CSMPF).

Primeiro subprocurador a se colocar na disputa fora da lista tríplice, Aras se apresentou durante toda sua campanha como um candidato conservador e antissistema, discurso semelhante ao de Bolsonaro nas eleições.

Nos últimos meses, Aras elogiou publicamente Bolsonaro e mostrou alinhamento com ideais do presidente, chegando a criticar a decisão do STF que equiparou a homofobia ao crime de racismo. Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo em agosto, ele prometeu chamar nomes conservadores para compor sua equipe.

Parte de aliados de Bolsonaro, entretanto, tem resistência a Aras. Isso porque ele já criticou a direita e defendeu teses consideradas de esquerda em entrevistas há alguns anos. O subprocurador também foi atacado nas redes sociais por já ter sido cotado pela então presidente Dilma Rousseff para uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF). O nome também desagrada muitos membros do Ministério Público Federal.

Aras é de Salvador, Bahia, e está no Ministério Público Federal desde 1987 e atualmente integra a 3ª Câmara de coordenação, responsável por tratar de questões econômicas. Ele também é professor da Faculdade de Direito da Universidade de Brasília (UnB).


Faça o cadastro gratuito e leia até 10 matérias por mês. Faça uma assinatura e tenha acesso ilimitado agora

Cadastro Gratuito

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito