Jotinhas

Pedra no caminho

STJ mantém preso ex-secretário de Transportes de SP por desvios no Rodoanel

Presidente do STJ negou liminar em HC apresentada pela defesa de Laurence Casagrande Lourenço

Modelagem Infracast
Crédito DERSA – Desenvolvimento Rodoviário S/A

A presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministra Laurita Vaz, negou, nesta quinta-feira (19/7), o pedido liminar de liberdade apresentado pela defesa do ex-secretário de Logística e Transportes de São Paulo Laurence Casagrande Lourenço. Ele é acusado de participar da organização criminosa que desviou verbas públicas na construção do Rodoanel Viário Mário Covas.

Ao negar o pedido, Laurita entendeu que o ex-secretário poderia, em liberdade, usar de influência política e econômica “para a coação de testemunhas – algumas delas foram suas subordinadas –, e eventual destruição de provas, dado que mandou triturar documentos ou o fez por conta própria, o que aparenta, à primeira vista, o intento de aniquilar a possibilidade de colheita do material probatório”.

Investigado pela Polícia Federal na Operação Pedra no Caminho, espécie de braço da Operação Lava Jato em São Paulo, o ex-secretário teve a prisão preventiva decretada em junho passado.

Ainda de acordo com a presidente do STJ, poderia haver a “possibilidade de, em liberdade, [Lourenço] voltar a praticar as mencionadas condutas”, sendo “evidente a legitimidade da decretação de prisão cautelar como fundamento à garantia da ordem pública e econômica, e à instrução criminal”.

O ex-secretário é apontado como o principal articulador entre as empreiteiras e outros setores políticos. Até o dia de sua prisão preventiva, ocupava o cargo de presidente da Companhia Energética de São Paulo (CESP). Foi também secretário estadual dos Transportes e presidiu a Dersa, empresa de Desenvolvimento Rodoviário S.A.


Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito