Atos golpistas

AGU pede o bloqueio de bens de mais 42 pessoas para ressarcir vandalismo

No total já são 134 pessoas e 7 empresas com pedido de bloqueio de bens; ao menos R$ 4,3 milhões já estão bloqueados

atos golpistas terrorismo brasil
Janelas danificadas no Palácio do Planalto após atos golpistas. Crédito: Fabio Rodrigues-Pozzebom/Agência Brasil

A Advocacia-Geral da União (AGU) ajuizou uma terceira ação na Justiça Federal nesta sexta-feira (27/1) pedindo o bloqueio de bens dos envolvidos nos atos golpistas de 8 de janeiro que terminaram com a depredação de prédios públicos na Praça dos Três Poderes, em Brasília. Dessa vez, a AGU pede que mais 42 pessoas físicas presas em flagrante tenham os bens bloqueados. O objetivo é garantir o ressarcimento pelos prejuízos causados calculados em R$ 18,5 milhões.

Na soma dos três processos propostos pela AGU já foi solicitada a indisponibilidade do patrimônio de 134 pessoas e sete empresas – sendo 82 pessoas por efetivamente participar da depredação e 52 pessoas e sete empresas por financiar o fretamento de ônibus para os atos antidemocráticos. Os processos estão em sigilo, por isso, não há informações sobre os nomes daqueles com os bens bloqueados.

O juiz federal Francisco Alexandre Ribeiro concedeu liminar na primeira ação, que dizia respeito aos acusados de financiar o fretamento de ônibus para os atos antidemocráticos. Ao menos R$ 4,3 milhões só em veículos de pessoas e empresas envolvidas estão bloqueados.