Eleições 2018

Novo governo

Após convite de Bolsonaro, Sergio Moro formaliza afastamento da Lava Jato

Pedido de exoneração da magistratura só deve ocorrer às vésperas da posse do presidente eleito

Foto: Pedro de Oliveira/ ALEP

O juiz federal Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba (PR), formalizou nesta segunda-feira (5/11) à Corregedoria Regional da Justiça Federal da 4ª Região pedido de férias. Com isso, o magistrado se afasta da Operação Lava Jato, que o notabilizou por mais de quatro anos. A licença é motivada pela decisão do juiz de assumir o Ministério da Justiça do governo Bolsonaro a partir de janeiro.

Moro deve pedir exoneração da magistratura às vésperas de posse. No comunicado à corregedoria, o magistrado afirma que as férias têm o objetivo de evitar controvérsias desnecessárias. “Reputo salutar afastar-me da jurisdição dos casos judiciais relacionados à Operação Lava Jato, com o que evitar-se-á controvérsias desnecessárias. Assim, pretendo tirar a partir da presente data as várias férias que acumulei durante meu período de magistrado em decorrência das necessidades do serviço”, escreveu.

Moro afirmou ainda que usará o tempo para se dedicar aos planos para a nova função no Executivo. “As férias também permitirão que inicie as preparações para a transição de governo e para os planos para o ministério”, concluiu.

Com o afastamento de Moro, a juíza substituta  Gabriela Hardt assume os processos da Operação Lava Jato. Só após a exoneração de Moro é que o Tribunal Regional Federal da 4ª Região vai abrir concurso de remoção para que um juiz titular se apresente para ficar com a cadeira de Moro na 13ª Vara. Qualquer juiz federal titular do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul pode se inscrever no processo seletivo.

 


Você leu 1 de 3 matérias a que tem direito no mês.

Login

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito