Casa JOTA

Mudança na Petrobras

Presidente da Câmara defende indicação de Adriano Pires para Petrobras

Lira e Gilmar Mendes participaram de evento na Casa JOTA para discutir semipresidencialismo nesta segunda-feira (4/4)

Arthur Lira, presidente da Câmara, e Gilmar Mendes, ministro do STF, em debate na Casa JOTA / Crédito: Eduardo Bresciani

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), defendeu nesta segunda-feira (4/4) a indicação do economista Adriano Pires para a presidência da Petrobras. Segundo Lira, é positivo que a estatal seja comandada por um profissional com conhecimento do setor.

A indicação de Pires foi contestada pelo Ministério Público do Tribunal de Contas da União, que pediu a abertura de apuração para identificar se a atuação do economista em uma consultoria do setor de energia pode gerar conflito de interesses à frente da Petrobras.

“A crítica agora é que o presidente da Petrobras prestou consultoria a uma empresa privada. Eu não posso ter trabalhado na iniciativa privada? Só pode funcionário público?”, questionou Lira. “Então tem que pegar um arcebispo, um almirante, para ser da Petrobras. A gente tem um falso moralismo, um julgamento precipitado que só atrapalha o nosso país”, afirmou o deputado.

Assinantes do JOTA PRO Poder conhecem as pautas que vão movimentar os Três Poderes com semanas ou até meses de antecedência. Acompanhe a evolução dos cenários com nossos analistas. Experimente o JOTA PRO Poder grátis.

Lira fez a afirmação durante participação no debate “Semipresidencialismo e as Instituições”, realizado na Casa JOTA, em Brasília, com a participação do ministro do STF, Gilmar Mendes.

A defesa do nome de Pires foi feita antes da notícia de que o Palácio do Planalto e o Ministério de Minas e Energia comunicou ao governo de sua intenção de desistir do cargo. O governo divulgou uma nota negando a formalização da desistência, o que é um indício de que o governo está tentando ainda equacionar a situação.

Confira a íntegra do evento: