Carreira

Lista de Livros

10 livros sobre humanismo

Ministro Og Fernandes, do STJ, elenca obras nacionais que o tornaram ‘a pessoa de ontem e de hoje’

Crédito: Pexels

A título de esclarecimento, cito apenas livros nacionais, que, de alguma forma, tornou-me a pessoa de ontem e de hoje. Amanhã vai ser outro dia, que desconheço.  Trata-se de uma visão de humanismo com características dos trópicos, para usar uma linguagem própria de Gilberto Freyre, com quem inicio minha lista. Embora o humanismo seja uma filosofia com berço no renascimento italiano, tratei de abrasileirá-la na minha compreensão do ser/estar do lado de baixo do equador.

1) Casa Grande e Senzala, de Gilberto Freyre

Divido a compreensão do Brasil entre antes e depois de 1933, ano do lançamento da obra-prima do mestre de Apipucos, como gostava de ser lembrado.

Descreve com clareza e elegância a presença do negro na formação brasileira. Além disso, tenho o orgulho de ter trabalhado contemporaneamente com ele, no Diario de Pernambuco, respeitadas as distâncias: eu, humano repórter; ele, um Deus dos editoriais e artigos.

2) Coronelismo, Enxada e Voto, de Victor Nunes Leal

A tese acadêmica do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Victor Nunes Leal que se transformou num livro essencial para a compreensão do Brasil dos coronéis fazendeiros.

3) Os Donos do Poder, de Raymundo Faoro

Em dois volumes, trata do chamado patrimonialismo brasileiro, a partir das suas raízes lusitanas.

4) Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis (aliás, qualquer obra da fase realista machadiana)

Ler Machado devia ser requisito obrigatório para alfabetização no país. Precisa dizer mais?

5) Capitães de Areia, de Jorge Amado (representando o conjunto da obra).

Jorge Amado é Bahia na veia, gota a gota, numa visão de Brasil a partir do Nordeste.

6) Raízes do Brasil, de Sérgio Buarque de Holanda

Mais um trabalho sobre a sociedade brasileira da abençoada década de 1930, anos que empalmaram o universo resultante do big bang da Semana de Arte Moderna de 1922.

7) Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa

A última flor do Lácio, inculta e bela, foi belissimamente reinventada por Guimarães Rosa.

8)  Antologia de Carlos Drummond de Andrade

Itabira é um retrato na parede, mas…

9) Antologia de Manuel Bandeira

Vou-me embora pra Pasárgada.

10) Coleção dos livros de Monteiro Lobato, para os infantes


Com licença de Olavo Bilac, criança, não verás país nenhum como este!

Veja outras indicações de leitura


Faça o cadastro gratuito e leia até 10 matérias por mês. Faça uma assinatura e tenha acesso ilimitado agora

Cadastro Gratuito

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito