Jazz

Jazz

O Scandal de Dave Douglas e Joe Lovano

Par de ases lança segundo álbum do quinteto Foot Prints

divulgação

O trompetista Dave Douglas, 55 anos, e o saxofonista Joe Lovano, 65, são lendas vivas do jazz como instrumentistas, compositores e líderes de combos os mais diversos. Douglas fez sucesso com grupos tão diferentes como o Brass Ecstasy, o Tiny Bell Trio e o elétrico sexteto Keystone. Lovano tem preciosa discografia em trios, quartetos, nonetos, duos, peças orquestrais e, nos últimos anos, comandou o conjunto Us Five, com a baixista Esperanza Spalding, o pianista James Weidman e dois bateristas.

Em 2013, a dupla uniu-se para formar o quinteto Sound Prints, que tivemos a oportunidade de ouvir ao vivo no finado BMW Jazz Festival, no Rio e em São Paulo. Naquele mesmo ano, esse grupo – com Lawrence Fields (piano), Linda Oh (baixo) e o veterano Joey Baron (bateria) – apresentou-se no Monterey Jazz Festival, em concerto gravado pela etiqueta Blue Note, e editado em 2015.

Pois o Sound Prints está de volta às lojas e plataformas virtuais no álbum Scandal (Greenleaf Music, o selo de Dave Douglas), registro em estúdio de setembro do ano passado, com a mesma formação original (Só que a notável baixista Linda, nascida na Malásia e criada na Austrália, passou a assinar o seu nome completo: Linda May Han Oh).

O canonizado saxofonista Wayne Shorter foi a inspiração inicial de Lovano e Douglas ao fundarem o conjunto Sound Prints – nome derivado de Footprints, composição de Shorter constante do antológico álbum Miles Smiles (Columbia, 1966), daquele quinteto de Miles Davis que contava também com as artes de Herbie Hancock (piano), Ron Carter (baixo) e Tony Williams (bateria).

Das 11 peças do novo CD do Sound Prints, duas são de autoria de mestre Shorter: Juju (9m05), título do LP da Blue Note de 1965 do quarteto do saxofonista com McCoy Tyner (piano), Elvin Jones (bateria) e Reggie Workman (baixo); Fee Fi Fo Fum (6m), de Speak No Evil (Blue Note, 1966), com os mesmos sidemen, mais o trompetista Freddie Hubbard.

Mas esses cultuados temas são apenas pontos de partida (e de chegada) para a interação contínua do quinteto Sound Prints, assim como as composições de autoria dos seus líderes. Dave Douglas assina a faixa-título Scandal (5m50), Dream state (5m30), Ups and downs (6m55), Mission Creep (6m20) e Libra (4m15). Joe Lovano é o autor de Full sun (5m05), The corner tavern (6m50), Full moon (8m05)e High noon (2m25).

De acordo com o release do selo Greenleaf, Scandal é o primeiro registro em estúdio de material que “revela uma banda apaixonadamente ousada para a qual nenhum território é limitado”. Por sua vez, Douglas comenta: “A nossa linguagem certamente evoluiu. O conceito de tocar dialogando, o espírito coletivo, a partilha de diferentes papéis foram crescendo nos nossos sucessivos concertos e turnês”.

As duas primeiras peças do CD, Dream state e Full sun, são decididamente free jazz, chegando a lembrar o clima politonal dos quartetos de Ornette Coleman. Mesmo as duas composições de Wayne Shorter são desenvolvidas de maneira muito original por esse extraordinário quinteto Sound Prints. A faixa-título não é nada “escandalosa”, mas bem moody, com Douglas fazendo uso da surdina. Namovimentada High noon Lovano toca sax soprano.

(A faixa Dream state pode ser ouvida em: soundcloud.com/greenleaf_music/dream-state)

(Samples do álbum Scandal em: itunes.apple.com/us/album/scandal-feat-lawrence-fields-linda-may-han-oh-joey-baron/1341961965)


Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito