Dados

Previsibilidade

Aprovômetro captou dificuldades do PL do Saneamento na Câmara

Ferramenta preditiva do JOTA mostrou que projeto seria aprovado, mas identificou as dificuldades pré-votação

Obras de saneamento no município de Contagem, Minas Gerais. Crédito: Ricardo Lima/ Prefeitura Contagem/ Divulgação

A ferramenta de previsibilidade desenvolvida pelo JOTA – que tem ajudado empresas e organizações a tomar decisões –  antecipou o resultado de uma das mais aguardadas votações de 2019. O Aprovômetro previu o resultado da votação do PL do Saneamento, novo marco legal do setor, aprovado pela Câmara no final do ano passado.

Usando mais de 3.000 variáveis, o Aprovômetro do JOTA foi criado para gerar probabilidade de aprovação de todos os projetos em tramitação no Congresso e em 2020 terá novas funcionalidades para seus usuários.

O JOTA acredita na combinação de inteligência artificial e apuração jornalística para aumentar a previsibilidade das instituições brasileiras. Em todo ano de 2019, o Aprovômetro do JOTA previu corretamente resultado de 97,5% de projetos arquivados e de 72% de propostas que viraram lei.

A ferramenta calcula a probabilidade total de aprovação final pela Câmara e pelo Senado. Além dos números propriamente ditos, o histórico semana a semana aponta para tendências e possíveis reversões de expectativa, ajudando tomadores de decisões em suas estratégias.

O exemplo do PL do Saneamento mostra como a ferramenta é capaz de capturar dificuldades de projetos. A curva semanal mostra primeiro uma subida forte nas chances de aprovação e, em várias semanas seguidas, uma queda nessas chances. A curva é bem diferente do caso da Previdência, quando o Aprovômetro captou uma subida constante nas chances de aprovação. Mais do que as percentagens, a curva de tendência ajuda na tomada de decisões.

No caso do PL do Saneamento, a ferramenta identificou como o texto enfrentou maiores resistências na Câmara no momento em que estava pronto para a votação. O marco do setor foi aprovado pelo plenário da Câmara depois de uma manobra de última hora, substituindo o texto do relator, Geninho Zuliani (DEM-SP), por outro texto enviado pelo Executivo.

Gráfico mostra as dificuldades que o texto do relator apresentou para ser aprovado nos últimos meses do ano

O PL 3261/2019, relatado por Zuliani, aparecia com 71,52% de chance de aprovação em junho de 2019, subiu para 89,76% em julho, para 92,25% em agosto e passou a cair nos meses seguintes. Foi para 86,57% em setembro, 86,59% em outubro e 81,36% em novembro. Ou seja, a inteligência artificial captou as dificuldades do texto, que acabou substituído na hora da votação em plenário.

Toda a movimentação de última hora foi captada pela inteligência artificial, mas também pelo time de especialistas do JOTA, que atuaram em campo, minuto a minuto, atualizando os assinantes JOTA Pro interessados no tema. 

Já o PL 4162/2019, que acabou sendo o substituto do PL 3261/2019, estava totalmente parado até ser resgatado pelo plenário em um acordo para a aprovação. O Aprovômetro gerou uma única previsão para ele, no dia da votação, prevendo 97,17% de chances do projeto ser aprovado, como de fato foi.

O Aprovômetro é uma ferramenta que utiliza big data e inteligência artificial para estimar as chances de aprovação de cada projeto de lei ou proposta em tramitação no Congresso. O exemplo utilizado foi a Reforma da Previdência e do PL do Saneamento, mas é possível mapear qualquer proposta no Congresso. O algoritmo utiliza décadas de dados do Congresso, além de centenas de variáveis, incluindo o texto do projeto, autores, temas, emendas, tendências econômicas e mudanças de forças políticas para estimar a chance de um projeto se tornar lei com grande precisão. 

As chances de cada projeto são atualizadas a cada semana, contabilizando as alterações ocorridas no período, ajudando na tomada de decisões sobre o processo legislativo.


Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito