Dados

Congresso

PP, PL e MDB têm comportamento mais ‘espalhado’ na Câmara, mostra ferramenta

Mapa do JOTA permite visualizar, semana a semana, a ‘dança’ dos parlamentares em apoio ao governo

Câmara
Congresso, Crédito: Ana Volpe/Agência Senado

PP, MDB e PL (ex-PR) estão entre as siglas cujos deputados federais se comportam de forma menos coesa em plenário, de acordo com o mapa parlamentar desenvolvido pelo JOTA. O mapa mostra que, nessas siglas, o comportamento ideológico e de pensamento econômico na Câmara é mais “espalhado” do que em partidos como o DEM, Novo e PSL.

A ferramenta, disponível para assinantes JOTA Pro que contratam o Aprovômetro do JOTA, ajuda a entender o comportamento de cada deputado. Atualmente, o modelo usado para construir o mapa já conta com mais de 250 mil votos individualizados.

O mapa desenvolvido pelo JOTA mostra a “dança” semanal dos parlamentares. É possível organizar a visualização por partidos e estados, semana a semana. A ferramenta interativa permite ao usuário saber o grau esperado de apoio ao governo dado por cada parlamentar. 

O mapa permite ainda inferir a probabilidade de voto de cada deputado em votações muito importantes na Câmara, por meio de um índice de previsibilidade legislativa. Nesse caso, a equipe JOTA Labs monta um modelo preditivo sob demanda a partir dos desafios dos assinantes. No caso da Reforma da Previdência e do marco legal do Saneamento, por exemplo, o modelo estatístico acertou mais de 95% dos votos SIM no texto aprovado pela Câmara.

Mais do que isso, o modelo da Previdência se aproximou do placar final ainda em março, meses antes da votação em plenário. O mapa para votações específicas é construído a partir de demandas de assinantes JOTA Pro.

No caso do MDB, desde 2019, todos os deputados mantêm apoio constante acima de 80% das votações. Mais do que isso, cinco deputados passaram o ano de 2019 com o índice calculado pelo JOTA acima de 95% de apoio ao governo. Esses deputados estão concentrados no sul do país, especialmente no Rio Grande do Sul. São eles: Carlos Chiodini (SC), Herculano Passos (SP), Alceu Moreira (RS), Darcio Perondi (RS) e Marcio Biolchi (RS).

O PL e o PP também têm seis parlamentares que passaram boa parte do ano com grau de governismo acima de 95% na Câmara, entre eles Capitão Augusto (CE) e Policial Katia Sastre (SP). No PP entre os seis deputados que mantiveram alto grau de governismo estão Evair Vieira de Melo (ES) e Schiavinato (PR).

Mudança de posicionamento 

A ferramenta do JOTA permite ao usuário alterar os limiares (thresholds) para considerar o deputado como governista, neutro ou oposição. Para isso, o assinante JOTA Pro pode alterar os valores do índice de governismo para considerar um deputado a favor, contrário ou neutro em relação ao governo. O cálculo considera uma média móvel das votações passadas e cria um mapa em duas dimensões, que capturam o posicionamento ideológico do parlamentar. 

Por padrão, a ferramenta apresenta deputados com 80% ou mais de governismo como governistas, aqueles com menos de 20% como oposição e os que estão entre essas duas marcas como neutros. Porém, cabe a cada usuário definir essas marcas.

Ao aumentar o limite para deputados considerados governistas, por exemplo, mais deputados se tornam neutros e mudam automaticamente de cor no mapa.

Partidos na Câmara

No MDB, ao alterar os limiares, a deputada que primeiro se desloca dos governistas para os neutros é normalmente Jéssica Salles (AC) – ela mantém um índice de governismo em torno de 85%. O mapa mostra que Jéssica é a primeira que muda da cor azul – que representa os governistas – para cinza, a cor que representa os neutros.

No PP, um deputado tem comportamento neutro mais claro. É ele quem sempre se mantém com um grau de governismo próximo aos 70%, bem abaixo dos colegas de partido. No modelo padrão do JOTA, é o único da sigla constantemente classificado como neutro. Trata-se de Mario Negromonte Jr (BA). Dois outros deputados ficam abaixo do limiar de 80% em algumas semanas, sendo classificados pelo modelo como neutros: Ricardo Izar (SP) e Fernando Monteiro (PE).

O PL tem uma situação semelhante. Apenas o deputado Tiririca (SP) mantém um nível de governismo abaixo de 80% semana após semana – ficando muito próximo dos 70%. Em algumas semanas, ele é acompanhado por Lincoln Portela (MG).

Usando a mesma ferramenta, o JOTA já demonstrou como parlamentares do NOVO, PSL e DEM têm comportamento mais coeso de apoio ao governo.


Faça o cadastro gratuito e leia até 10 matérias por mês. Faça uma assinatura e tenha acesso ilimitado agora

Cadastro Gratuito

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito