Dados

Governismo

Bancadas de SC, AM e MT são as que mais seguem governo na Câmara

Levantamento do JOTA Labs mostra que bancadas do Ceará, Pernambuco e Bahia são as que menos votam com o governo

Benefícios e transação em fases: os detalhes do relatório da reforma tributária
Crédito: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Os deputados das bancadas dos estados de Santa Catarina, Amazonas e Mato Grosso foram os que mais seguiram as orientações da liderança do governo em votações nominais da Câmara. É o que aponta um levantamento do JOTA Labs com os dados de todas as votações nominais na Câmara dos Deputados realizadas em 2020.

Na figura abaixo, o número entre parênteses indica a quantidade de deputados de cada bancada. Por exemplo, a bancada de Santa Catarina que apresenta maior adesão às orientações de Bolsonaro, possui 16 deputados ou 3,1% do total de parlamentares. No extremo oposto, a bancada do Ceará, que apresenta a menor adesão às orientações do governo, possui 22 deputados — cerca de 4,3% do total.

A média de apoio ao governo flutua semanalmente. Na última semana a média de apoio ao governo na Câmara como um todo ficou em 74,4 pontos.

O índice de governismo é um indicador importante uma vez que qualquer esforço para encaminhar os problemas que afetam o país terá efeitos limitados se não for pavimentado por um conjunto de propostas articuladas e aprovadas na Câmara e no Senado.

A principal força do Poder Legislativo vem do fato de praticamente todas as políticas públicas precisarem de leis para serem instituídas. As propostas mais relevantes, como as reformas tributária e administrativa, requerem maioria de três quintos dos votos (60%), ou 308 deputados e 49 senadores para viram emendas à Constituição.

500

Partidos mais governistas

O PATRIOTA é o partido com a maior taxa de governismo no período: 95,1%. Apesar do apoio, o partido é pequeno: tem apenas 6 votos na Casa.

Em seguida, o PSL, antigo partido do presidente Jair Bolsonaro (Sem partido), tem taxa de: 93,9%, e hoje conta com 41 deputados — a segunda maior bancada partidária, atrás do PT que tem 53 deputados. O terceiro partido com a maior taxa de governismo é o REPUBLICANO: 93:7%, com uma bancada de 33 deputados.

Por outro lado, os partidos PSOL (18,7%), PT (20,9%) e PCdoB (26,1%) têm as menores taxas de apoio ao governo – ou seja, seus deputados registram menor disciplina em votos às orientações do líder do governo.

O PSOL, por exemplo, que tem uma bancada de 10 deputados, seguiu a orientação do líder do governo na Câmara em apenas 15 votações nominais. Neste ano, a maioria das votações ocorridas foram de proposições e medidas adotadas pelo Executivo e Legislativo para mitigar os impactos da pandemia de Covid-19 na prestação de serviços de saúde e na economia. 

Como medimos o índice de governismo?

Os dados de governismo são do Índice de Previsibilidade Legislativa, ferramenta interativa do JOTA Labs que permite explorar padrões de comportamento individual dos deputados baseados em milhares de votações. A mudança semana a semana de cada bancada, além da relação entre deputados de um mesmo estado podem ser analisados na ferramenta disponível para assinantes do JOTA.

O índice é um percentual calculado a partir do número de votos que seguiram a orientação do líder do governo, dividido por todos os votos registrados em uma votação específica. Esse cálculo é repetido para cada votação válida e os valores resultantes são usados para estimar uma média de apoio ao governo a cada semana.

Por exemplo, caso a indicação do líder do governo seja “sim”, apenas votos “sim” registrados pelos deputados são considerados a favor do governo. Os votos “não” e as demais manifestações (“obstrução” ou “abstenção”) são considerados votos desfavoráveis ao governo.

Por outro lado, há votações em que o governo não registra nenhuma orientação de sua liderança e libera a bancada, nestes casos os dados são descartados do cálculo. Assim, o índice de governismo do JOTA leva em consideração apenas as votações em que o governo defendeu sua posição explicitamente no painel de votação.