Dados

Pandemia

Trânsito de veículos nas ruas sobe em todas as regiões do país

Informações foram analisadas pelo JOTA a partir de dados de mobilidade do Waze

coronavírus trânsito
Trânsito intenso na Radial Leste, em São Paulo. Crédito: Carlos Amoroso/FotosPublicas

Depois de todas as mudanças causadas pela crise de saúde pública oriunda da pandemia da Covid-19, é difícil prever qual será o “novo normal” dos brasileiros. Mas, após algumas semanas exibindo taxas de mobilidade urbana abaixo da linha de 50%, o trânsito em todas as regiões do Brasil esboça tendência gradativa de retorno aos níveis observados no período pré-pandemia. 

Outros países da América Latina, como Uruguai, Colômbia, México, Argentina e Peru também apresentam aumento no trânsito em comparação com o mês de março. As informações foram analisadas pelo JOTA a partir de dados do Waze, compilados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento, que monitora a intensidade de congestionamento no trânsito para diversos países e regiões metropolitanas.

Uma análise realizada no início de abril revelou que havia um aumento de pessoas nas ruas em um momento em que a política de isolamento social atingia um período considerado essencial pelas autoridades de saúde.

O índice utilizado nas imagens representa a medição do congestionamento e sua duração nas ruas de uma área, cidade ou região metropolitana no intervalo de 24 horas. Os dados são gerados passivamente enquanto o aplicativo Waze está sendo executado no dispositivo de um usuário. Combinando essas informações para todos os usuários de uma área, o aplicativo identifica se, em um determinado ponto geográfico (ou polígono), o tráfego está diminuindo (em relação à velocidade esperada em condições de não obstrução). 

Por exemplo, se na cidade A e na cidade B as mesmas 10 vias de congestionamento são formadas em um dia, cada uma com 150 metros de comprimento, isso produziria uma estimativa de 1.500 metros de engarrafamento em A e B naquele dia. No entanto, se os pontos de congestionamentos em A tiverem o dobro da duração em B, a estimativa para A será considerada o dobro de B.

Para compensar as flutuações sazonais desse tipo de série, adotou-se a primeira semana de março (1 a 7 de março de 2020) como linha base para o índice de Intensidade de Congestionamento no Trânsito (ICT). Portanto, a queda de congestionamentos observada nos gráficos é calculada em relação à primeira semana de março. Ou seja, se uma região apresenta uma queda média de -50% no dia, interpretamos que o tráfego nas ruas daquela região caiu em média 50% em relação ao tráfego observado na primeira semana de março.

Tráfego por países da América do Sul

Todos os países da região tiveram quedas no trânsito entre a primeira e terceira semana de março. A queda foi mais moderada no Uruguai, Brasil, México e Chile do que na Colômbia, Argentina, Paraguai e Peru, que na terceira semana de março apresentaram os menores índices de intensidade de congestionamento no trânsito. 

coronavírus trânsito

O índice mostra que no Brasil as ruas vêm sendo tomadas novamente pelos carros, mesmo que muitos estabelecimentos comerciais e escolas continuem sendo cautelosos em reabrir as suas portas.

Tráfego por estado da região Sudeste

Na região Sudeste, o aumento pode ser observado em ritmo mais forte em Minas Gerais e no Espírito Santo. Embora apresentem picos de maior movimento, São Paulo e Rio de Janeiro continuam com os menores índices de intensidade de congestionamento no trânsito da região, abaixo de -50%.

Tráfego por estado da região Sul

Na região Sul, os três estados se aproximam rapidamente do ponto 0% do ICT, situação em que o fluxo de trânsito nas ruas seria praticamente o mesmo daquele observado na primeira semana de março. O Paraná é o estado que que teve maior aumento no ICT comparado ao Rio Grande do Sul e Santa Catarina. 

Tráfego por estado da região Centro-Oeste

Na região Centro-Oeste, Mato Grosso é o estado que registrou maior aumento do ICT. Goiás vem logo atrás. O Distrito Federal apresenta muitos picos de intensidade no trânsito que representam a movimentação mais intensa nos finais de semana e queda durante a semana. Recentemente o Distrito Federal adotou um protocolo de reabertura para o comércio, shoppings e parques. Não havia dados disponíveis para o estado do Mato Grosso do Sul.

coronavírus trânsito

Tráfego por estado da região Norte

Na região Norte, Roraima é o estado com maior intensidade no trânsito, e o Amapá a menor intensidade no ICT, ficando abaixo de -75%. Não há dados para os estados Tocantins e Acre.

Tráfego por estado da região Nordeste

Na região Nordeste, todos os estados — em maior ou menor grau — apresentam tendência de leve alta no ICT, porém o ritmo é bem mais lento do que o observado nas demais regiões do país.