Inova&Ação

Inteligência Artificial

Tecnologia a serviço da segurança pública

É incontestável que as tecnologias Big Data e de Inteligência Artificial estão modificando o mundo em que vivemos

Crédito: Pixabay

Um dos temas mais debatidos nos dias de hoje é a rápida evolução das tecnologias denominadas Big Data e Inteligência Artificial, tecnologias essas que transformam, indiscutivelmente, todas as atividades humanas, seja a indústria, o comércio ou mesmo a relação entre os governos e seus cidadãos.

Porém, é importante definir o significado desses termos, já que existem diversas dúvidas a respeito de seu emprego. As tecnologias de Big Data podem ser definidas como aquelas com capacidade para processar um grande volume de dados de formatos os mais variados, com grande velocidade. Volume, variedade e velocidade são conhecidos como os 3 Vs do Big Data.

Já Inteligência Artificial é um vasto campo de conhecimento e pesquisa, composto de diversas áreas dentre as quais se destacam o aprendizado de máquina (machine learning) e a aprendizagem profunda (deep learning).

A primeira área se trata principalmente da utilização de uma grande quantidade de dados para orientar ações, baseadas em evidências, melhorando de forma significativa o processo decisório. Já a segunda, embora compartilhe deste mesmo objetivo, se diferencia pela utilização de algoritmos de redes neurais: capacidade que permitem às máquinas identificar pessoas, veículos, extrair características de textos escritos.

Essa verdadeira revolução proporcionada pela disponibilidade de dados e informações em quantidades jamais vistas associada a um enorme poder computacional impacta todos os campos de nossa vida cotidiana, como a forma que assistimos a filmes, seguindo as sugestões dos serviços de streaming.

Por óbvio, também a Segurança Pública, uma das maiores demandas da sociedade em nossos dias, foi impactada por essas tecnologias, permitindo que o emprego de seus meios se tornasse mais eficiente.

E como tem se posicionado o Brasil e o Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) perante a esse novo mundo de possibilidade e discussões que se abrem com o uso das tecnologias de Big Data e Inteligência Artificial?

Desde o início deste governo, estabeleceu-se um projeto prioritário denominado Sinesp Big Data e Inteligência Artificial, cuja coordenação compete, de forma conjunta, à Diretoria de Gestão e Integração da Informação da Secretaria Nacional de Segurança Pública e da Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação da Secretaria Executiva. Se de fato os dados são o novo petróleo, esse combustível deve estar disponível a todos os órgãos de Segurança Pública, para que estes possam melhorar seus serviços ao cidadão.

Neste sentido, aproveito o momento é para destacar o Sinesp Cidadão, disponível para download nas lojas de aplicativos, que representa o primeiro passo na caminhada de disponibilizar também ao cidadão os benefícios da inteligência artificial. A atualização do aplicativo, bem como o aprimoramento de suas funções foi realizada pela Universidade Federal do Ceará, no contexto de um dos projetos prioritários do Ministério, o “Sinesp Big Data e Inteligência Artificial”.

Com isso, além dos módulos de consulta de mandados de prisão e veículos, já presente na versão anterior, agora o sistema permite ao cidadão comunicar o furto ou roubo de seu veículo de forma automática, aumentando consideravelmente as chances de recuperação. Importante ressaltar que o registro de boletim de ocorrência continua sendo recomendado.

Há, também, o banco nacional de desaparecidos, construído nos moldes da Lei nº 13.812/2019, a partir dos boletins de ocorrência de desaparecimentos e que só foi possível graças ao apoio dos estados que, unindo esforços ao MJSP, integraram os registros de ocorrência das 27 unidades da federação. O novo aplicativo permite, ainda, a inclusão de fotos do desaparecido pelo comunicante, bem como estabelece uma comunicação com este, via e-mail cadastrado, de modo a permitir a atualização deste banco de dados.

Outra nova funcionalidade é a divulgação dos criminosos que constam da lista de procurados do MJSP. Contudo, uma das ferramentas que julgo de maior impacto, e que neste momento terá sua utilização inicialmente nas  cidades de Cariacica (ES), Ananindeua (PA), Paulista (PE), São José dos Pinhais (PR) e Goiânia (GO), que integram a primeira fase do Programa Em Frente Brasil, é o módulo Participação Cidadã, que vai permitir a comunicação entre o poder público e o cidadão.

Por meio dele, o cidadão poderá denunciar crimes ou até problemas do dia a dia, como buracos na via, falta de iluminação e que serão tratados pela Ouvidoria do MJSP junto aos órgãos responsáveis.

Por fim, é incontestável que as tecnologias Big Data e de Inteligência Artificial estão modificando significativamente o mundo em que vivemos. E o Ministério da Justiça e Segurança Pública está, incansavelmente, buscando através de seu uso melhorar a prestação de serviços de Segurança Pública ao cidadão, bem como aproximá-lo das forças policiais que zelam por sua segurança.


Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito