Advocacia

Cinema

Fusões e aquisições em destaque

Para Demarest, mercado de IPO’s merece atenção do governo em 2015

Crédito Divulgação

Um ano, no mínimo, atípico. Além do Carnaval, a Copa do Mundo – realizada entre junho e julho – e as eleições de outubro levaram os 40 sócios do Demarest Advogados a acreditar que trabalhariam nos intervalos.

“Quando fizemos o orçamento para 2014 não apostamos em nenhuma área para crescimento”, afirmou Paulo Rocha, sócio e membro do conselho do escritório há 66 anos no mercado e com atuação em 28 áreas. Um ano depois, a banca registra crescimento nominal (sem descontar a inflação) de 12% no ano. “Foi uma surpresa. No fim das contas, o ano de 2014 foi muito bom”, afirma Rocha.

Apesar de sinais de retração na economia e desconfiança do mercado na condução da política econômica, a área de Fusões e Aquisições (M&A) puxou o crescimento do Demarest ao lado da área de Project Finance, bancários e de dívidas no mercado de capitais, bastante ativo, segundo Rocha. Ajudaram ainda na alavancagem o contencioso civil e a arbitragem.

“A demanda por casos grandes e complexos sempre existem. Não é que deixem de ocorrer na crise, muitas vezes ela faz com que ocorram mais. Além disso, houve uma preferência da arbitragem sobre o Judiciário, especialmente por estrangeiros em contratos grandes”, afirma Paulo Rocha.

No sentido oposto, de quase paralisia em 2014, está outro ramo do mercado de capitais, a de ofertas públicas de ações. “É uma área que merece atenção do governo para tentar destravar. O ano não foi bom e não há nada que diga que 2015 seja o ano de IPO´s”, diz o advogado.

Em 2015, o crescimento na atuação dos advogados na área de infraestrutura estará intimamente ligado aos desdobramentos da Operação Lava Jato, da Polícia Federal e suas repercussões no governo.

“Será um ano curioso. Esperamos deslanchar uma grande parte dos projetos de infraestrutura que temos apostado, mas precisaremos ver o que acontecerá no cenário político”, diz Rocha, acrescentando que a depender da Petrobras haverá mais ou menos trabalho para o escritório nessa área. “Talvez haja mais oportunidades em projetos de portos e metrôs, áreas que não dependem da estatal”, completa.

Para o Demarest, o resultado das eleições presidenciais de outubro não muda a perspectiva de crescimento para 2015, com a área de fusões e aquisições em destaque novamente. “Nossos clientes são empresas muito grandes que mudam de ideia rapidamente. Se o país continua estratégico esperam crescimento. Goste ou não do governo, o fato é que já sabemos as regras do jogo e como ele funciona”, afirma.

 

Raio X do Demarest Advogados em 2014:

Crescimento: 12% (nominal, sem descontar a inflação)

Novos casos abertos: 7.888

Novos clientes: 219

40 sócios. 44, a partir de janeiro

270 advogados

26 contratações e 28 desligamentos (os números consideram apenas advogados e sócio junior)


Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito