Tributário

Carf realiza sessões no escuro

Falta de luz atinge prédio do conselho nesta quinta-feira

JotaImagens

Muitos adjetivos poderiam ser utilizados para caracterizar a semana de julgamentos no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf). “Comum”, porém, não é um deles.

Não bastasse a greve de parte dos conselheiros – que levou à suspensão de parte das sessões – e a presença do ex-jogador de tênis Guga em plenário, na manhã dessa quinta-feira (27/10) os julgadores da Câmara Superior enfrentam a falta de luz no prédio do Carf.

Os conselheiros realizam a sessão em uma sala parcialmente escura, e sem internet.

Consultas aos autos têm sido feitas pelo celular de uma das conselheiras, Ana Paula Fernandes, e os votos poderão ser lidos até que sejam esgotadas as baterias dos computadores dos julgadores.

O presidente da sessão, conselheiro Luiz Eduardo de Oliveira Santos, lembrou que o acesso eletrônico aos autos é relativamente recente no Carf. Antes de 2009 os processos físicos eram levados às sessões, e ficavam empilhados nas salas de julgamento.

A falta de luz não atinge apenas o Carf. Toda a região do local onde está localizado o conselho, em Brasília, está às escuras.


Faça o cadastro gratuito e leia até 10 matérias por mês. Faça uma assinatura e tenha acesso ilimitado agora

Cadastro Gratuito

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito