Saúde

Pandemia

Teich promete diretriz baseada em dados para estados definirem isolamento

Ministro da Saúde anunciou primeiras medidas para enfrentamento ao coronavírus, incluindo a nomeação de general como secretário-executivo

Ministro da Saúde, Nelson Teich, ao lado do ministro Braga Netto, da Casa Civil (Foto: Foto: Anderson Riedel/PR)
Ministro da Saúde, Nelson Teich, ao lado do ministro Braga Netto, da Casa Civil (Foto: Foto: Anderson Riedel/PR)

O ministro da Saúde, Nelson Teich, anunciou nesta quarta-feira (22/4), em coletiva de imprensa no Palácio do Planalto, as primeiras medidas da pasta sob sua gestão para o enfrentamento à pandemia do coronavírus no país. Entre elas, está a elaboração de uma diretriz a ser usada como parâmetro por gestores locais na adoção de estratégias de isolamento.

Teich também confirmou a nomeação do general Eduardo Pazuello em substituição a João Gabbardo na Secretaria-Executiva. Gabbardo, um dos protagonistas da equipe do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta, havia se comprometido a colaborar na transição antes de deixar o cargo. 

Prometida para a próxima semana, a diretriz destinada a estados e municípios levará em consideração o número de infectados, projeções, porcentagem de ocupação de leitos e disponibilidade de recursos humanos em cada local. “O Brasil é absolutamente gigante e heterogêneo. Não tem como uma diretriz dessa não ser customizada”, afirmou. 

Segundo Teich, poderá haver orientação de recuo por parte do Ministério da Saúde caso seja constatada piora relacionada à flexibilização do isolamento social, defendida pelo presidente Jair Bolsonaro.

O ministro descartou a testagem em massa da população, explicando que o objetivo do governo é fazer um mapeamento para obter uma amostra mais próxima à realidade. Nesse sentido, ressaltou a necessidade de se trabalhar com projeções a curto prazo para a adoção de medidas imediatas.

“O que a gente tem que fazer é ser rápido o bastante, competente o bastante para fazer o ajuste necessário. Não dá para querer adivinhar muito lá na frente. Isso é impossível”, afirmou. 

Ao anunciar a troca no comando da Secretaria-Executiva, o ministro frisou que Pazuello será uma nomeação estratégica para a reorganização do abastecimento do Sistema Único de Saúde (SUS). O militar tem ampla experiência em logística no Exército. 

“Nesses poucos dias que estou aqui, a impressão que eu tenho é que a gente tem que ser mais eficiente do que a gente é hoje. A gente está falando de logística, de compra, de distribuição. É uma pessoa que vem trazendo a contribuição num momento em que a gente corre contra o tempo”, disse Teich em referência ao general.