Saúde

Ofício

Diante do avanço da Covid-19, 2 mil cidades acionam Ministério da Saúde por testes

Consórcio de municípios envia ofício à Pasta para solicitar ajuda com estruturas de testagem, apoio ambulatorial e medicamentos

Teste para verificação de contágio por Covid-19 - Foto: EBC

O Consórcio Conectar – maior consórcio público de saúde do país, com 2,1 mil cidades – encaminhou ao Ministério da Saúde um ofício em que pede ajuda com estruturas de testagem para a Covid-19, apoio ambulatorial e medicamentos antigripais. A solicitação foi feita no momento em que o número de casos de contaminação pelo coronavírus, bem como por gripe e influenza, têm aumentado consideravelmente. Leia o ofício enviado pelo Consórcio ao Ministério da Saúde.

No documento enviado no final da tarde de quarta-feira (5/1) ao secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, o Consórcio alega que o avanço de casos “tem onerado sobremaneira os serviços de atendimento ambulatorial”. O pedido é por reforço no envio de testes de antígeno e suporte com estruturas fixas e móveis de testagem, na forma de equipamentos ou no financiamento para a contratação de equipes temporárias.

“Ressalto que os atendimentos ambulatoriais, felizmente, não têm resultado em internações e ocupações de leitos, mas a espera de atendimento para realização de exames e receita de medicamentos antigripais tem sido para além do esperado”,  escreveu no ofício Gean Loureiro, prefeito de Florianópolis e presidente do Conectar.

Os prefeitos lembram que a alta demanda por atendimento ambulatorial tem gerado o esgotamento dos estoques de alguns medicamentos nas redes públicas e privadas.

A medicação antiviral Oseltamivir, comercializada sob a marca Tamiflu, para o tratamento de casos graves de Influenza, tem faltado em alguns casos. Esse é um dos medicamentos solicitados pelas cidades.