Mercado

Selo de integridade

Pró-Ética: CGU premia 67 empresas por práticas contra corrupção e fraude

Programa da Controladoria-Geral da União reconhece iniciativas do setor privado com selo de ética e integridade

Premiação da CGU chegou à décima edição. Vencedores triplicaram neste ano | Foto: Tauan Alencar

Foram reveladas nesta terça-feira (7/12) as empresas vencedoras da edição 2020-2021 do Programa Empresa Pró-Ética, da Controladoria-Geral da União (CGU). A iniciativa seria um reconhecimento a empresas comprometidas com a ética e integridade.

As vencedoras foram avaliadas a partir da adoção voluntária de medidas de integridade voltadas para a prevenção, a detecção e a remediação de atos de fraude e corrupção. Neste ano, o número de empresas aprovadas triplicou em relação à edição anterior, entregue em 2019. Esta é a décima edição da iniciativa.

No total, 327 empresas solicitaram acesso ao programa. Destas, 236 forneceram todas as informações do questionário de avaliação. Desse total, 195 foram admitidas e 67 foram premiadas pelas boas práticas.

Com isso, as empresas ganham o selo “Pró-Ética”. Os troféus foram entregues pelo secretário-executivo da CGU, José Marcelo Castro de Carvalho, e o secretário de Transparência e Prevenção da Corrupção da Controladoria, Roberto Viegas.

Lista de empresas aprovadas

3M do Brasil;
Alfenas Ambiental Tratamento de Resíduos e Limpeza Urbana;
Alubar Metais e Cabos;
Amil Assistência Médica Internacional;
Arteris;
Atech Negócios em Tecnologia;
Autopista Fernão Dias;
Autopista Fluminense;
Autopista Litoral Sul;
Autopista Planalto Sul;
Autopista Régis Bittencourt;
Bahia Transferência e Tratamento de Resíduos;
Banco do Brasil
BB Previdência – Fundo de Pensão Banco do Brasil;
Banco Bradesco;
BRK Ambiental Participações;
Brookfield Brasil;
Caixa de Assistência do Setor Elétrico;
Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ);
Centrais Elétricas Brasileiras;
Centrais Elétricas do Norte do Brasil;
Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba);
Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp);
Companhia Energética de Pernambuco (Celpe);
Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern);
Companhia Paranaense de Energia
Concessionaria de Rodovias do Interior Paulista;
CPFL Energia;
Ecovia Valorização de Resíduos;
Elektro Redes;
Elfa Medicamentos;
Enel Brasil;
Ernst & Young Auditores Independentes;
Fleury;
Furnas Centrais Elétricas;
Green4t Participações;
Green4T Soluções TI;
ICTS Global Serviços de Consultoria em Gestão de Riscos;
Itaú Unibanco Holding;
MIP Engenharia;
MRV Engenharia e Participações;
Natura Cosméticos;
Neoenergia;
Novo Nordisk Farmacêutica do Brasil;
Oncoclínicas do Brasil Serviços Médicos;
Ouro Verde Locação e Serviço;
Petróleo Brasileiro (Petrobras);
PPG Industrial do Brasil;
Prumo Logística;
Química Amparo (Ypê);
Radix Engenharia e Desenvolvimento de Software;
Resíduo Zero Ambiental;
Rip Serviços Industriais;
Rivelli Alimentos;
Santo Antônio Energia;
Siemens Infraestrutura e Indústria;
Sociedade Beneficente de Senhoras;
Solvi Participações;
Tecnew Consultoria;
Termoverde Salvador;
Tim;
Unimed Belo Horizonte;
Unimed do Estado de São Paulo;
Unimed Seguradora;
Vezzi, Lapolla e Mesquita Sociedade de Advogados;
ViaPaulista;
Viasolo Engenharia Ambiental.