Concorrência

Antitruste

Cade aprova compra da Red Hat pela IBM, avaliada em US$ 34 bilhões

Operação já havia sido firmada mesmo sem aval do órgão antitruste brasileiro devido à falta de quórum

(Foto: Pixabay)

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou, por unanimidade e sem restrições, a compra internacional da Red Hat pela IBM, avaliada em US$ 34 bilhões.

Apesar do aval do Cade, a compra já estava fechada. Isso porque as empresas decidiram concluir a operação sem o aval do órgão antitruste brasileiro devido ao impasse político entre Bolsonaro e o Congresso, que deixou o Cade paralisado por falta de quórum por mais de um mês pela primeira vez em sua história.

Devido a isso, as empresas deverão ser multadas pelo Cade pela prática chamada gun jumping, em um processo que será analisado posteriormente.

Na sessão desta quarta-feira (13/11), o Tribunal do Cade entendeu que a operação não é lesiva à concorrência, já que não há nos autos elementos que demonstrem que a nova IBM poderá exercer seu poder de mercado.

O voto da conselheira-relatora, Paula Farani, destacou que o mercado de atuação de IBM e Red Hat é emergente, o que possibilita a entrada de novos entrantes.

Apesar do aumento do poder de influência da IBM com a compra da Red Hat, o Cade entendeu que eles são limitados. Isso porque, segundo a conselheira, existem rivais efetivos que contam com a confiança dos mesmos clientes da IBM.

Os demais cinco conselheiros e o presidente do Cade, Alexandre Barreto, seguiram o voto de Paula Farani pela aprovação da operação.


Faça o cadastro gratuito e leia até 10 matérias por mês. Faça uma assinatura e tenha acesso ilimitado agora

Cadastro Gratuito

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito