Do Supremo

Sanção

PSB questiona resolução do TSE que regulamenta prestação de contas partidárias

Partido argumenta que Corte eleitoral invadiu competência do Congresso

enquetes tse
TSE julgou registro de deputado de Goiás. Crédito: TSE/Divulgação

O PSB recorreu ao Supremo Tribunal Federal para tentar derrubar a proibição de que partidos que não prestarem contas para a Justiça Eleitoral recebam recursos do fundo partidário enquanto não regularizar sua situação.

Na Ação Direta de Inconstitucionalidade 6032, o PSB pede a suspensão de resoluções editadas pelo Tribunal Superior Eleitoral em 2014, 2017 e 2018 que tratam da vedação.

Um dos trechos questionados estabelece que “será suspenso o registro ou a anotação do órgão de direção estadual ou municipal que tiver suas contas partidárias julgadas como não prestadas, devendo o órgão ser inativado e novas anotações indeferidas até que seja regularizada a situação”.

Para o partido, a resolução do TSE viola diretamente o texto constitucional por usurpar competência legislativa.

“As Resoluções ora combatidas se distanciam dos precedentes por uma questão central: diferentemente das demais hipóteses, a própria Constituição, por expressa disposição, atribui competência ao Congresso Nacional para regular “nos termos da lei” tanto o “acesso à recursos do fundo partidário” (art. 17, §2º e 3º CR/88) quanto os preceitos do art. 17, I a IV entre eles a obrigação de “prestação de contas à Justiça Eleitoral” (art. 17, III da CR/88”, dizem os advogados da legenda.

De acordo com a sigla, sanção de tamanha gravidade jamais esteve prevista em Lei, configurando flagrante inovação do TSE.

“Com todo o acatamento e respeito que merecem a eg. Corte Eleitoral, a exclusão de agremiações partidárias das eleições em razão do julgamento de suas contas – mesmo quando já regularizadas, afronta ao princípio democrático e às garantias eleitorais previstas na Constituição Federal. Assim porque, acaba por afetar diretamente o direito de seus filiados à candidatura”.


Você leu 1 de 3 matérias a que tem direito no mês.

Login

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito