Do Supremo

Atos de domingo

Marco Aurélio classifica de “inusitado” protestos pró-governo Bolsonaro

‘O governo precisa de defesa? Eu acho que não. Eu conheço protesto para se reivindicar alguma coisa’, disse

Marco Aurélio; segunda instância; Bolsonaro
Ministro Marco Aurélio em sessão da 1ª turma do STF. Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), ironizou as manifestações a favor do presidente da República Jair Bolsonaro que devem ocorrer pelo país no próximo domingo (26/05). O ministro afirmou que é inusitada esse tipo de manifestação em um Estado democrático de direito.

“O governo precisa de defesa? Eu acho que não. Eu conheço protesto para se reivindicar alguma coisa, para reclamar. Para dar apoio ao governo, não vejo num Estado Democrático, essa necessidade. É inusitado”, disse o ministro.

“E me lembra o ex-presidente Fernando Collor, que conclamou para saírem de verde e amarelo, mas as pessoas saíram de preto”, disse Marco Aurélio.

No próximo domingo, apoiadores de Bolsonaro convocaram atos por todo o país para manifestar apoio ao presidente, após milhares irem às ruas manifestar contra os cortes em universidades federais na semana passada. O presidente, porém, não deve comparecer aos atos.

Nas redes sociais, grupos que defendem o presidente dizem que um dos alvos das manifestações são os ministros do Supremo Tribunal Federal, juntamente com deputados federais. Na última terça-feira (21/05), o presidente do STF, Dias Toffoli, se reuniu com Bolsonaro no Palácio da Alvorada.

Em nota, o presidente disse que os dois discutiram “questões da conjuntura atual” e que há harmonia entre os dois poderes. “A harmonia reina entre nós na busca de soluções dos problemas nacionais, entre eles a Nova Previdência”, disse.


Faça o cadastro gratuito e leia até 10 matérias por mês. Faça uma assinatura e tenha acesso ilimitado agora

Cadastro Gratuito

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito