Do Supremo

Sem interferência

Celso de Mello permite que ex-secretária da Camex fique em silêncio na CPI do BNDES

Decano afirma que, apesar de convocada como testemunha, Lytha Spíndola é investigada na Justiça Federal por mesmos fatos

ICMS; TJSE; anônima abuso de autoridade
Ministro Celso De Mello durante sessão do STF. Crédito: Carlos Moura/SCO/STF

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, concedeu liminar, em habeas corpus preventivo, para permitir que Lytha Spíndola, ex-funcionária da Câmara de Comércio Exterior (Camex), permaneça em silêncio durante depoimento marcado para esta quarta-feira (15/5) na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do BNDES da Câmara dos Deputados. Spíndola também têm assegurado o direito de não […]

Leia este texto gratuitamente

Cadastre-se e tenha acesso a dez conteúdos todo mês.

cadastre-se agora. é grátis!

Informações confiáveis, assertivas e úteis. ​Leia e entenda por que o JOTA ​foi eleito a melhor startup de informação do mundo.