Do Supremo

STF

AGU recorre de decisão que determinou depoimento presencial de Bolsonaro

José Levi defende ‘tratamento isonômico’ em relação ao ex-presidente Temer, que pôde depor por escrito

AGU Levi Bolsonaro
Presidente da República Jair Bolsonaro durante assinatura do termo que dá posse ao Advogado-Geral da União, José Levi Mello do Amaral Júnior / Crédito: Alan Santos/PR

A Advocacia-Geral da União (AGU) recorreu, nesta quarta-feira (16/9), da decisão do ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), que determinou que o presidente Jair Bolsonaro deveria prestar depoimento presencialmente no inquérito que investiga suposta interferência do presidente na Polícia Federal. No recurso, a advogado-geral da União, José Levi, argumenta que, há alguns […]

Leia este texto gratuitamente

Cadastre-se e tenha acesso a dez conteúdos todo mês.

cadastre-se agora. é grátis!

Informações confiáveis, assertivas e úteis. ​Leia e entenda por que o JOTA ​foi eleito a melhor startup de informação do mundo.