Sem Precedentes

SEM PRECEDENTES

Bolsonaro recuou. O STF também

Com decisão de prestar depoimento presencialmente à Polícia Federal, Bolsonaro afasta ataques ao Supremo

Este episódio de Sem Precedentes, podcast do JOTA sobre o Supremo Tribunal Federal (STF) e a Constituição, aborda o recuo jurídico de Jair Bolsonaro (sem partido) com a decisão de prestar depoimento presencialmente à Polícia Federal no inquérito que apura suspeitas de interferência política na direção da instituição.

As suspeitas foram levantadas por Sergio Moro ao deixar o cargo de ministro da Justiça. O ministro Celso de Mello, agora aposentado e na época relator do inquérito, havia decidido que Bolsonaro deveria prestar depoimento presencialmente. Bolsonaro questionou essa decisão: queria prestar o depoimento por escrito.

Anteriormente, Luís Roberto Barroso e Edson Fachin deram decisões permitindo que Michel Temer, como presidente da República, prestasse depoimento por escrito. Esse pedido de Bolsonaro seria julgado na quarta-feira (6/10), quando chegou manifestação do novo advogado-geral da União, Bruno Bianco, para que o julgamento fosse suspenso.

O episódio aborda ainda a decisão do Supremo, válida para as eleições do ano que vem, que permite a participação de cantores em eventos de arrecadação de recursos para campanhas políticas. Contudo, não autorizou a volta dos showmícios.

O Sem Precedentes é apresentado por Felipe Recondo, diretor de conteúdo do JOTA. Os participantes fixos são Juliana Cesario Alvim, professora da Universidade Federal de Minas Gerais; Diego Werneck, professor do Insper, em São Paulo; e Thomaz Pereira, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), no Rio de Janeiro.