Jazz

Líder

Ralph Moore de volta ao planeta jazz

Em Three Score, saxofonista tenor que tinha sumido lidera quarteto com pianista Eric Reed

Foto: divulgação

No livro Jazz on CD/The Essential Guide (1991), John Fordham qualificou o hoje sexagenário saxofonista Ralph Moore como “um dos novos herois do movimento revivalista do bop”. Britânico de nascimento, ele emigrou para os Estados Unidos quando tinha 15 anos, a fim de juntar-se ao pai. Estudou e formou-se com louvor no Berklee College of Music, em Boston. Em 1990, gravou para o selo Concord o aplaudido disco Moore Makes 4, com o trio do grande contrabaixista Ray Brown (1926-2002). Depois disso, praticamente sumiu dos palcos e estúdios jazzísticos. Preferiu a “segurança” de sideman na banda do Jay Leno’s Tonight Show, que teve grande audiência na televisão até 2014.

Pois Ralph Moore está de volta ao planeta jazz, no seu primeiro álbum como líder em quase 25 anos. Em Three Score (Wj3 Records), já disponível nas lojas e plataformas virtuais, o saxofonista tenor está à frente de um quarteto integrado pelos também notáveis Eric Reed (piano), Gerald Cannon (baixo) e Willie Jones III (bateria). A etiqueta Wj3, fundada em 2000 pelo baterista Jones, tem sido a “casa” de outros ilustres músicos da mainstream contemporânea do jazz como o pianista Cyrus Chestnut e o saxofonista Justin Robinson.

A metade das oito peças do novo CD de Moore é de sua autoria. Inclusive a faixa-título (7m), a mais longa da setlist, de envolvente melodia em tempo médio, com introdução do baixista Cannon levando a um solo do tenorista-líder que não esconde sua devoção a dois dos seus “santos”: o John Coltrane da época de Giant Steps e Joe Henderson. Os outros originais de Moore são Donny (4m50), Blues alliance (6m45) e 623 C Street (5m45).

O pianista Eric Reed, 48 anos, já tem uma relevante discografia como líder. Entre 2011 e 2014 lançou, pelo selo Savant, três álbuns (em trio ou quinteto) só com temas de Thelonious Monk: The Dancing MonkThe Baddest Monk Adventurous Monk. Agora, como sideman de Ralph Moore, ele contribui com três peças de sua autoria: Carol (4m25), Another time(5m40) e Una mujer mui elegante (4m25). Mas não deixa de aparecer com realce na última faixa do CD-rentrée do saxofonista Ralph Moore que é – não por acaso – Reflections (5m), uma das mais admiradas composições de Thelonious Monk.

(Samples de Three Score em: itunes.apple.com/ca/album/three-score/1451970423)

Emmet Cohen premiado

A American Pianists Association anunciou a concessão do seu prêmio máximo (Cole Porter Fellowship) a Emmet Cohen. O pianista new star, 28 anos, vai receber US$ 50 mil e um contrato de gravação com o selo Mack Avenue. Em 2011, Cohen tinha chegado em terceiro lugar na Thelonious Monk Institute of Jazz International Piano Competition, vencida por Kris Bowers (os juízes foram Herbie Hancock, Ellis Marsalis, Jason Moran e Danilo Perez). Os registros mais recentes de Emmet Cohen (2017/2018) foram os dois primeiros volumes da série Masters Legacy (Cellar Live), em trio com o venerado baixista Ron Carter.


Faça o cadastro gratuito e leia até 10 matérias por mês. Faça uma assinatura e tenha acesso ilimitado agora

Cadastro Gratuito

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito