Jazz

Jazz

Fred Hersch-Esperanza Spalding na base do ‘aqui e agora’

Pianista e vocalista lançam EP de uma noite ao vivo no Village Vanguard

Fred Hersch
Esperanza Spalding e Fred Hersch. Crédito: Divulgação

Numa noite de outubro de 2018, o eminente pianista Fred Hersch e a também Grammy winner Esperanza Spalding, baixista-vocalista cada vez mais admirada, apresentaram-se em duo no Village Vanguard, a “catedral” do jazz de Nova York. Eles não podiam imaginar que um registro fonográfico de momentos preciosos daquela noitada seria lançado, quase dois anos depois, em meio a uma pandemia tão persistente e mortal como a gerada pelo coronavírus. E com o objetivo beneficente de angariar recursos para a Jazz Foundation of America ajudar no tratamento de músicos vitimados pelo Covid-19.

Este Live at the Village Vanguard é um EP (extended play) de cinco faixas, num total de pouco mais de 45 minutos, sem “edições”, contendo manifestações da audiência e comentários dos músicos. Ou seja, bem ao vivo. O EP estará disponível para download no site da Bandcamp, por um mínimo de 17 dólares. Mas só até o próximo dia 30 deste mês de junho.

O “álbum” chama logo a atenção pelo fato de que Esperanza Spalding não pega no contrabaixo. Ela só faz uso da voz – em solos e contracantos inesperados e sempre inventivos – recriando muitas vezes as letras originais das canções ou improvisando em scat singing de maneira “devastadora”, para usar adjetivação do reviwer (e professor) Michael Ullman.

Fred Hersch, por sua vez, deixa um pouco de lado aquela postura mais compenetrada de recitais em salas de concertos, entrando firme no clima do “aqui e agora”. E vale lembrar o que o afamado pianista disse quando do lançamento, em 2018, de Live in Healdsburg (Anzic), em duo com a clarinetista Anat Cohen: “Se eu fosse rico como Keith Jarrett gravaria todas as minhas performances ao vivo. Quando menos se espera temos uma daquelas noites incríveis”.

Pois foi o que ocorreu naquela noite no Village Vanguard, como se pode constatar e fruir logo na faixa inicial – uma reinvenção bem livre e original de But not for me (9m25), popular tema de Gershwin, com Esperanza trocando ideias animadamente, parte em scat, com o parceiro Fred. De igual para igual.

O número final da setlist é Loro (9m40), tema de Egberto Gismonti, recriado de modo particularmente contagiante, e refletindo perfeitamente a satisfação de Hersch: “Este disco dá a impressão de que estamos no melhor lugar da casa (o Vanguard) para uma experiência muito viva. Pode-se realmente sentir a energia da sala, da audiência e do nosso interplay, com todo mundo realmente feliz”.

As demais faixas do EP são: Dream of Monk (7m35), composição do pianista, evidentemente dedicada a Thelonious Monk, o “High priest of bebop”; Girl talk (11:55), de Neal Hefti e Bobby Troup; e Some other time (7m20), de Sammy Kahn e Jule Styne.

Ouça as faixas do EP aqui.


Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito