Opinião & Análise

JOTA Concursos: O caminho para a aprovação

Todos podem ser aprovados no concurso que queiram, mas precisam de força, estudo, foco e dedicação

Foto: Flickr

O caminho para chegar à aprovação em um concurso público não é fácil. Não há dúvidas que demanda esforço e determinação do candidato, e uma cabeça preparada para o desafio, que nem sempre é rápido e tranquilo.

O maior índice de insucesso daqueles que tentam ser aprovados em concursos não está nas reprovações, mas nas desistências. Muitos candidatos começam a trilhar o caminho para o sucesso, mas desistem pelos mais variados motivos: problemas pessoais, preguiça, frustrações, falta de apoio, dentre outros.

É claro que a dinâmica da vida é diferente para cada pessoa, e a estrutura psicológica varia de candidato para candidato, fazendo com que o caminho “concursal” seja diferente, fácil, médio ou difícil, a depender de cada um que se arvora nos trilhos do estudo para concurso público.

Todavia, não há forma mais lógica de não se obter sucesso em concurso público do que desistir. Isso porque a desistência impede que você ao menos tente, que você ao menos tente de novo, ou que você ao menos tente mais uma vez. Sim, porque é raro ser aprovado no primeiro concurso que se faz na vida. E desistir significa não tentar. É como se diz no jargão popular: não tem como ganhar um sorteio se você não concorrer.

Parece óbvio o que se está dizendo aqui, mas não é. Como dissemos acima, o maior índice de insucesso é a desistência. Muitos candidatos, ou ex-candidatos, dizem que nunca passaram em um concurso. E retrucados sobre se continuam estudando a resposta é sempre a mesma: parei. Realmente, se parou não vai passar. Aprovação não bate na sua porta pra entrar do nada. Ela só entra se você construir o caminho.

E aqui voltamos ao ponto. O caminho leva à aprovação. Todos os “concurseiros” que conhecemos, e que nunca desistiram, foram aprovados. Pode demorar anos, mas essas pessoas conseguiram. Recentemente, uma candidata foi aprovada para o cargo de juiz num Tribunal Estadual depois de 8 anos tentando. Você pode estar pensando agora: será que eu vou ficar 8 anos estudando? Provavelmente, não. O exemplo é só pra mostrar que ela nunca desistiu e uma hora o caminho dela chegou no destino final, que era a aprovação. A média de tempo de estudo para aprovação é muito menor, mas como afirmamos antes, cada um tem suas peculiaridades e isso influência na hora de estudar, fazendo com que seja mais demorado ou mais rápido o caminho para a aprovação.

É interessante ressaltar que dentro dos 8 anos de estudo de uma pessoa, ou dentro de 3 anos, ou qualquer que seja o tempo, sempre há aquelas paradas, as pausas para dar prioridade a certas questões da vida que precisam ser resolvidas. Claro que não se está falando em 8 anos de estudo incessantes, porque isso é impossível em termos mentais. Mas é fundamental observar que nesse tempo todo a pessoa sempre esteve conectada ao seu desejo de ser aprovada, nunca deixando de lado os estudos, e principalmente o seu objetivo.

Você pode estar ainda pensando: eu conheço alguém que estuda há 10 anos e nunca passou. Antes de concluir que ele será um frustrado, e servirá como exceção à regra que aqui expusemos, pense se essa pessoa realmente estuda ou finge que estuda. Muitos “concurseiros” se enganam fingindo que estudam, seja porque não querem assumir a responsabilidade de passar no concurso, seja porque estão confortáveis na vida ou, ainda que queiram ser aprovadas, não conseguem deixar de lado certas regalias para se dedicar aos livros e à aprovação. Portanto, essas pessoas não fazem parte do que chamamos de verdadeiros “concurseiros”, que vão atingir seus objetivos.

O que vai fazer de você uma pessoa com sucesso ou não nos concursos é a sua determinação e perseverança. Nada de preguiça, nada de zona de conforto. O caminho é longo, mas sempre leva à aprovação. Você já deve ter ouvido o ditado dos concursos, que representa tudo aquilo que estamos falando: é só ficar na fila que o seu momento chega.

Portanto, o mais importante é não desistir. Todos podem ser aprovados no concurso que queiram, mas precisam de força, estudo, foco e dedicação.

Boa semana de estudos a todos os nossos leitores!

____________________________________________________________

Rodrigo Becker – Advogado da União. Mestrando em Direito Público pela UNB. Coach e Professor no Curso Preparatório para Concursos Observatório dos Tribunais. Professor de Processo Civil na ESA/OAB-DF e no IMAG-DF. Coautor do livro “Direito Processual Civil – Série Advocacia Pública, da editora Método. Conselheiro Seccional da OAB-DF. Aprovado nos seguintes concursos: Advogado da União (14º lugar), Promotor de Justiça de Goiás (4º lugar), Defensor Público do RS, Procurador do Estado de Roraima (7º lugar), Procurador do Estado de Sergipe, Procurador Federal, Analista do STJ (11ª lugar), Analista do TJDF (18º lugar), Procurador do CREA. No twitter @rodrigofbecker.

Victor Trigueiro – Advogado da União, Mestre em Direito, Estado e Constituição pela UnB. Coach e Professor no Curso Preparatório para Concursos Observatório dos Tribunais. Professor de Direito Administrativo em Cursos Preparatórios para Concursos em Brasília, Professor de Processo Civil na ESA/DF, Ex-analista do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, aprovado e nomeado nos seguintes concursos: Procurador do Município de Aracaju, Analista Judiciário – Área Judiciária/Execução de Mandados no TRT 5, TRT 2 e TRF 3.


Faça o cadastro gratuito e leia até 10 matérias por mês. Faça uma assinatura e tenha acesso ilimitado agora

Cadastro Gratuito

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito