Jazz

Greve dos servidores

Hamleto Stamato lança ‘Speed Samba Jazz 5’

Novo CD do trio do pianista terá shows de lançamento na Lapa e no Leblon

Crédito @Wikimedia Commons/Truls

O pianista e compositor Hamleto Stamato é uma das maiores expressões do chamado samba-jazz, no mesmo patamar de mestre Antonio Adolfo, do paulistano-novaiorquino Hélio Alves, de Marcos Ariel e de David Feldman, para citar, apenas, consagrados ases do teclado.

Aos 47 anos, Stamato está comemorando 15 anos à frente do afiadíssimo trio que formou com o baixista Ney Conceição e o baterista Erivelton Silva, com o lançamento do CD Speed Samba Jazz 5 (Delira Música).

Trata-se do quinto CD de uma série cuja meta não é bater nenhum recorde de velocidade em matéria de interpretação musical, como pode sugerir a palavra speed. Mas, sim, demonstrar como é possível fazer jazz – o “som da surpresa” – com a ginga do samba, num nível excepcional de técnica, criatividade e interação.

Em 2009, o trio Speed Samba chegou a virar sexteto, com a convocação de Paulinho Trompete, Widor Santiago (sax tenor) e Roberto Marques (trombone) para gravar o CD-DVD Gafieira Jazz. O sucesso desse grupo lhe rendeu, em 2011, uma turnê europeia que incluiu apresentações no Duc des Lombards, um dos três mais afamados clubes de jazz de Paris.

Em Speed Samba Jazz 5, Stamato e seus mais fieis comparsas apresentam versões irresistíveis de dois standards e de três composições que fazem parte do “livro de ouro” do jazz. Os standards são All the things you are (3m45) eStella by starlight (4m15). Os jazz originals são Round midnight (5m15), de Thelonious Monk; Solar (5m), de Miles Davis; Take five (5m30), o tema originalmente em 5/4 do saxofonista Paul Desmond, e que virou uma espécie de marca registrada do quarteto de Dave Brubeck. (20)

As peças made in Brazil do novo CD são: À vontade mesmo (3m35), do trombonista Raul de Souza; Bananeira(4m), de João Donato; Tico-tico no fubá (5m), de Zequinha de Abreu; Salsa pro Zé Henrique ( ), de autoria do pianista-líder.

No release do disco da Delira, há uma citação de artigo do saudoso crítico de jazz José Domingos Raffaelli, escrito quando da edição do quarto álbum da série Speed Jazz, que merece ser transcrita: “As qualidades de Hamleto como pianista afloram a cada momento, investigando as facetas melódico-harmônicas das composições com emoção, nuances e sutilezas, transformando suas performances em desafios de inventividade e sentido de forma”.

A emoção, as sutilezas e os desafios que adjetivam a música concebida pelo pianista-compositor, no leme do seu trio, estão presentes em todas as faixas de Speed Samba Jazz 5. Mas não posso deixar de destacar especialmente: as reinvenções, em arriscadas acelerações do tempo, das possibilidades melódico-harmônicas das mais do que batidas All the things e Stella; o tratamento com respeito – mas sem o habitual temor reverencial – da “intocável” obra-prima de Thelonious Monk; a jazzificação surpreendente do chorinho Tico-tico, que começa em modo de valsa, e se alonga num fraseado sofisticado, à la Chick Corea.

Os shows de lançamento do CD Speed Samba Jazz 5 serão realizados, no Rio, nos seguintes locais e datas: TribOz (Rua Conde de Lages, Lapa), às 21h, no próximo dia 7/8; Restaurante Vizta, Hotel Marina Palace (Praia do Leblon), às 20h30, no próximo dia 21/8.

Publicada originalmente no JB Online.


Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito