Legislativo

Lava Jato

Governo decide não conceder aumento para a Polícia Federal

O Governo federal resolveu não conceder aumento à Polícia Federal, enquanto a Receita Federal e Advocacia-Geral da União (AGU) receberão aumentos de vencimentos. As três categorias negociavam juntas desde Novembro de 2015. Delegados ouvidos pelo JOTA apontam uma “retaliação” ao trabalho executado pelos profissionais à frente da operações Lava Jato, Acrônimo e Zelotes. Porém, em […]

O Governo federal resolveu não conceder aumento à Polícia Federal, enquanto a Receita Federal e Advocacia-Geral da União (AGU) receberão aumentos de vencimentos. As três categorias negociavam juntas desde Novembro de 2015.

Delegados ouvidos pelo JOTA apontam uma “retaliação” ao trabalho executado pelos profissionais à frente da operações Lava Jato, Acrônimo e Zelotes. Porém, em nota, a Fenapef (Federação Nacional dos Policiais Federais) informou que outras categorias também ficaram sem fechar acordo nessa negociação: PRF, Analistas de Políticas Sociais, Peritos Federais Agrários, DNIT, Analistas de Infraestrutura e Diplomacia.

Fontes da PF disseram que, segundo o Planejamento, a determinação de não conceder aumento “é ordem de cima”. A decisão foi de deixar o possível aumento para um governo Temer, que promete fazer um ajuste fiscal mais rigoroso. O JOTA procurou o Planejamento que não respondeu até o fechamento desta edição.

O aumento que estava em negociação para servidores da Polícia Federal não faz parte dos recursos prometidos pelo ministro Eugênio Aragão de R$ 160 milhões para operações. A promessa de liberação de recursos do ministro da Justiça somente abrange gastos com investimentos, recurso já estipulado pelo Planejamento.

 


Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito