Justiça

Ministério Público

Sessão do CNMP – 10/09

Conselho julga processos envolvendo o procurador da República Deltan Dallagnol

CNMP; Dallagnol
Procurador do Ministério Público Federal e coordenador da força tarefa da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol;. (Fernando Frazão/Agência Brasil)

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) julga nesta terça-feira processos envolvendo o procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da Força Tarefa da Lava Jato.

São duas reclamações e um processo administrativo disciplinar, sobre falas e publicações nas redes sociais do procurador. O primeiro caso a ser julgado apura se o procurador influenciou na eleição para presidente do Senado.

O CNMP julga uma reclamação que apura possível influência de Dallagnol na eleição para presidente do Senado, mas não foi informado o motivo para adiamento. Entre os dias 9 de janeiro e 3 de fevereiro – a eleição no Senado foi realizada no dia 2 de fevereiro – Dallagnol publicou diversos tuítes dizendo que a escolha de Renan Calheiros como presidente do Senado significaria leniência com a corrupção, e defendendo a votação aberta.

“Se Renan for presidente do Senado, dificilmente veremos reforma contra corrupção aprovada. Tem contra si várias investigações por corrupção e lavagem de dinheiro. Muitos senadores podem votar nele escondido, mas não terão coragem de votar na luz do dia”, tuitou Dallagnol no dia 9 de janeiro.

Está na pauta também o julgamento de reclamação aberta pela senadora Kátia Abreu (PDT-TO). A senadora acionou o CNMP em junho por uma publicação de Dallagnol em suas redes sociais.

Na ocasião, o procurador compartilhou em seu Facebook uma reportagem do O Estado de São Paulo sobre ela. A matéria faz referência a fatos relacionados à uma investigação já arquivada. Para a senadora, a conduta seria uma forma de promoção pessoal do membro, e configurou vazamento de informações sigilosas. Na sessão anterior, oito conselheiros votaram pelo arquivamento da reclamação. Se mantidos os votos, já há maioria para arquivá-la.

Pode ser julgado também um processo administrativo disciplinar (PAD) aberto por conta de entrevista que Dallagnol concedeu à rádio CBN em 2018, na qual critica ministros do Supremo Tribunal Federal. Na ocasião, Dallagnol acusou o STF de formar uma “panelinha” em alguns julgamentos, passando uma “mensagem muito forte de leniência a favor da corrupção”. O processo disciplinar foi aberto após pedido do presidente do STF, o ministro Dias Toffoli.

Assista ao vivo à sessão do CNMP:


Faça o cadastro gratuito e leia até 10 matérias por mês. Faça uma assinatura e tenha acesso ilimitado agora

Cadastro Gratuito

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito