Justiça

Dilma Rousseff

AGU convida juristas para listar motivos contra impeachment

Pedaladas fiscais não seriam razão suficiente

Brasília- DF 02-12-2015 Foto Lula Marques/Agência PT Presidenta Dilma durante pronunciamento.

Um jurista ouvido pelo JOTA contou que a presidente Dilma Rousseff chamou um grupo de dez juristas para ajuda-la a reunir ideias contrárias ao processo de impeachment.

Alguns advogados receberam ligações e mensagem pelo aplicativo Whatsapp do advogado-geral da União, ministro Luís Inácio Adams, convidando-os para um encontro em Brasília.

+JOTA“Advogado que não decora sustentação oral não merece advogar no STJ”, afirma presidente da Corte

Inicialmente, a reunião aconteceria nesta sexta-feira (4/12), mas como alguns profissionais não poderiam comparecer, foi remarcada para a próxima segunda-feira (7/12).

Em sua escolha, a presidente levou em consideração juristas que se manifestaram publicamente das pedaladas fiscais de 2014 e apontaram argumentos contrários ao processo de impeachment.

Entre os possíveis nomes estão Celso Bandeira de Mello, Carlos Ayres Britto, Heleno Torres, Carlos Walder e Misabel Derzi.

“O Congresso anistiou as pedaladas ao confirmar a redução da meta fiscal nesta quarta-feira, e com isso demonstrou o que entende sobre as pedalas. Como o mesmo Congresso pode aceitar o pedido de impeachment?”, questiona um dos juristas convidado.

Acompanhe nossa cobertura:

+JOTA: Tudo o que sabemos sobre o impeachment de Dilma Rousseff
+JOTA: Todas as ramificações do processo de impeachment

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito