Justiça

Invasão

Polícia Federal instaura inquérito para apurar se TSE foi hackeado nas eleições

O TSE abriu uma sindicância para apurar se dados sigilosos e o sistema interno da Corte foram acessados ilegalmente

PF irá investigar se TSE foi hackeado. Crédito: Polícia Federal

A Polícia Federal (PF) instaurou um inquérito para investigar se hackers invadiram o sistema da Justiça Eleitoral e colheram dados sigilosos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) durante as eleições. Além disso, o TSE abriu uma sindicância interna para apurar o ocorrido.

Os invasores teriam tido acesso, entre outras informações, a documentos sigilosos da Corte e ao login do ministro substituto Sérgio Banhos e do chefe da tecnologia da informação do TSE, responsável pelas urnas eletrônicas, Giuseppe Janino.

Os hackers dizem ter invadido o sistema Gedai-UE, que, segundo o site do TSE, é o “gerenciador de dados, aplicativos e interface com a urna, que fornece às equipes dos cartórios eleitorais e dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) o suporte de software necessário à carga das urnas eletrônicas”.

A invasão foi revelada após o JOTA noticiar que uma demanda do site TecMundo, especializado em tecnologia, causou grande preocupação no Tribunal e provocou inúmeras reuniões da Presidência com a equipe técnica para desvendar como os hackers acessaram códigos sigilosos da Corte.

Conforme relatado pelo hacker ao TecMundo, o acesso aconteceu por meio de vulnerabilidades em aplicações desenvolvidas pelo próprio Tribunal. Assim, foi possível um acesso remoto a um dos equipamentos ligados à rede. Acompanhe abaixo a conversa.

“Tive acesso à rede interna (intranet) e, por vários meses, fiquei explorando a rede, inclusive entrando em diversas máquinas diferentes do TSE, em busca de compreender o funcionamento dos sistemas de votação”, escreveu a fonte. “Com isso, obtive milhares de códigos-fontes, documentos sigilosos e até mesmo credenciais, sendo login de um ministro substituto do TSE (Sérgio Banhos) e diversos técnicos, alguns sendo ligados à alta cúpula de TI do TSE, ligado ao pai das urnas”, relatou o hacker.

“Passadas algumas semanas em que estive utilizando os equipamentos de rede do TSE, notei via emails dos técnicos da STI que os mesmos notaram tráfego suspeito (porque utilizei programas de scan na rede)”, explica a fonte. “Fizeram uma perícia para detalhar como o invasor conseguiu obter acesso ilegal à rede, mas mesmo com todos estes procedimentos de segurança que dotaram, incluindo a alteração de senhas de todas as contas, acabou não sendo suficiente para interromper meu acesso aos emails e também para a rede interna”, prosseguiu o invasor.

Após confirmar, na última quarta-feira (7/11), que havia recebido o e-mail da TecMundo com as supostas provas de que a rede interna foi invadida, mas evitar dar detalhes sobre a natureza do problema, nesta sexta-feira (9/11) o tribunal informou que encaminhou o caso para a PF.

“O TSE já encaminhou o caso à Polícia Federal, onde há um inquérito aberto. No âmbito interno do Tribunal, foi instaurada uma Sindicância para apurar os fatos”, afirmou.


Você leu 1 de 3 matérias a que tem direito no mês.

Login

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito