PF desbarata quadrilha de contrabando de combustíveis

Servidores públicos facilitavam contrabando de combustível da Venezuela para o Brasil

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (11) nas cidades de Boa Vista e Pacaraima, em Roraima, a Operação Bachaquero, com o objetivo de desmantelar uma organização criminosa especializada nos crimes de corrupção e contrabando, inclusive de combustível da Venezuela para o Brasil. A estimativa da PF é que a quadrilha movimentava ao menos R$1 milhão ao mês.

O número exato de detidos não foi divulgado, mas houve prisões em flagrantes e autorização para cumprimento de 44 mandados de prisão preventiva, 62 mandados de busca e apreensão e 16 mandados de condução coercitiva.

De acordo com a PF, servidores públicos, dentre eles policiais militares, supostamente facilitavam o contrabando de combustível vindo da Venezuela para Pacaraima, cidade fronteiriça àquele país. Um policial militar foi preso.

Moisés Morato, delegado da PF e responsável pela operação, em coletiva de imprensa realizada hoje informou que todos os investigados agiam juntos e compravam combustível mais barato na Venezuela para revender no Brasil. Os servidores eram responsáveis por fazer acordo com os contrabandistas para facilitar a travessia, que utilizava entrepostos em regiões de mata e comunidades indígenas para burlar a fiscalização.

Motoristas de táxis, lotação e garimpeiros eram os principais compradores desse combustível, segundo o delegado.

Os investigados presos e conduzidos coercitivamente serão interrogados e indiciados. As investigações continuam, com análise do material apreendido e apuração do envolvimento de outros integrantes nas práticas criminosas.

O nome da Operação faz referência ao termo usado por venezuelanos para denominar os contrabandistas.