Justiça

Sindicância

Membros do CNMP querem que procuradores da Lava Jato sejam investigados

Depois de vazamento de conversa de Moro e Deltan, conselheiros pedem sindicância

Lava Jato; cnmp; deltan
Procurador do Ministério Público Federal e coordenador da força tarefa da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol / Crédito: Fernando Frazão/Agência Brasil

Quatro conselheiros do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) pediram a abertura de investigação para apurar a conduta dos procuradores  da República que integram a força tarefa da Lava Jato cujas conversas foram vazadas e publicadas pelo site Intercept Brasil no último domingo (9/6).

No documento, pede-se que o corregedor nacional do Ministério Público, Orlando Rochadel Moreira, instaure uma sindicância para averiguar se houve ofensa aos princípios do juiz e do promotor natural, da equidistância das partes e da vedação de atuação político-partidária.

“Caso forem verídicas as mensagens e correta a imputação de contexto sugerida na reportagem, independentemente da duvidosa forma como teriam sido obtidas, faz-se imperiosa a atuação do CNMP”, diz o ofício.

O pedido é assinado pelos conselheiros Luiz Fernando Bandeira de Mello, Gustavo Rocha, Erick Venâncio e Leonardo Accioly. Até o momento, a investigação não foi aberta.

Na reportagem publicada pelo Intercept, há trechos de conversas entre procuradores, como Deltan Dallagnol, e o ministro da Justiça Sergio Moro, que na época atuava como juiz da 13.ª Vara da Justiça Federal do Paraná, que julga os investigados pela Operação Lava Jato, e conversas entre procuradores que podem demonstrar motivação partidária nos atos.


Faça o cadastro gratuito e leia até 10 matérias por mês. Faça uma assinatura e tenha acesso ilimitado agora

Cadastro Gratuito

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito