Justiça

Lava Jato

JBS tentou influenciar Cardozo através de sócio advogado

Informação consta da delação de Ricardo Saud

Brasília - O ex-ministro da Justiça do governo Dilma e atual ministro-chefe da Advocacia-Geral da União, José Eduardo Cardozo, é o entrevistado do programa Espaço Público, da TV Brasil (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Em sua delação à Procuradoria-Geral da República, o executivo da JBS Ricardo Saud contou  aos investigadores que contratou o escritório do advogado Marco Aurélio Carvalho para tentar se aproximar do então ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Carvalho e Cardozo são amigos de longa data e se associaram neste ano.

Diz a delação do executivo: “Ricardo Saud conheceu Marco Aurélio no ano de 2011. O mesmo se dizia muito próximo do então Ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, e que poderia ajudar muito em demandas do grupo JF na área de atuação do Ministro. Com essa proposta foi contratado o Escritório de Marco Aurélio, sem a devida prestação de serviços advocatícios, sendo o pagamento efetuado através de notas de conteúdo e datas ideologicamente falsos, sendo pago durante 18 meses, conforme planilha anexa. O Advogado Marco Aurélio pediu prorrogação do contrato que não foi atendido pelo grupo JF. O então Ministro José Eduardo Cardozo sempre atendeu com muita cordialidade a JB e a RS, embora não seja possível identificar ato de ofício específico em favor do grupo, como contrapartida aos valores pagos ao referido escritório.”

+JOTA: Delator da JBS cita propina para mais de 100 escritórios

Em resumo, narram os investigadores, “o mesmo colaborador, Ricardo Saud, relata, em seu Termo ele Depoimento n. 15, o pagamento, com o propósito de ter os interesses do grupo empresarial J&F favorecidos no âmbito do Ministério da Justiça, de vantagens indevidas a Marco Aurélio Carvalho, por intermédio de contrato fictício celebrado com o seu próprio escritório de advocacia.”

No vídeo abaixo, Saud conta que pagou o escritório por serviços que não foram feitos, mas que não obteve benefícios junto ao então ministro da Justiça por intermédio de Carvalho.

Procurado, o advogado Marco Aurélio de Carvalho garante que prestou os serviços e tem farta documentação para comprovar isso. “O depoimento do diretor é absolutório. Não houve, e nem poderia haver, atribuição de qualquer conduta ilícita ou ao menos inadequada. Creio que trata-se de engano que será facilmente esclarecido. Houve e há farta prestação de serviços na área tributária e consultiva. Com emissão de notas fiscais e recolhimento de tributos. No mais, as despesas ressarcidas, bem como a existência de novas ações judiciais em curso, comprovam a inequívoca prestação de serviços e a lisura da Contratação, bem como a confiança em minhas qualidades éticas e técnicas. A empresa é muito grande, fato pelo qual talvez o engano se justifique. De toda sorte, sigo à disposição para todo e qualquer esclarecimento”.

O ex-ministro da Justiça Eduardo Cardozo declarou: “Apesar de não ter sido acusado da pratica de nenhum ato ilícito, Marco Aurélio Carvalho me mostrou a documentação da sua prestação de serviços, para que não pairasse nenhuma dúvida sobre a sua atuação profissional. E se eu já tinha antes a convicção da lisura do seu comportamento, as provas são suficientes para atestar a sua mais absoluta idoneidade e o equívoco da acusação, mesmo para quem não o conheça”.


Faça o cadastro gratuito e leia até 10 matérias por mês. Faça uma assinatura e tenha acesso ilimitado agora

Cadastro Gratuito

Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito