Justiça

Lava Jato

Delúbio Soares escolhe deputados do PT como testemunhas na Lava Jato

Arlindo Chinaglia e Vicente Cândido estão lista

Gavel, books and handcuffs on wooden table

O juiz Sérgio Moro, da Justiça Federal do Paraná, marcou, para agosto, audiências de testemunhas de defesa de denunciados da Lava Jato pelo Ministério Público Federal. Além do ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT), Delúbio Soares, outras oito pessoas passaram a ser réus, no início de maio, por lavagem de dinheiro.

Como estratégia de defesa, Delúbio Soares arrolou como testemunhas o secretário de comunicação do PT, Paulo Frateschi, o secretário de Mobilização do PT, Francisco Campos, o ex-presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) João Felício, Antônio dos Santos, o deputado estadual Luiz Martino Turco, e os deputados federais Arlindo Chinaglia e Vicente Cândido.

Condenado no Mensalão, o ex-tesoureiro do PT foi alvo da Operação Carbono 14, a 27ª fase da Operação Lava Jato. Além de Delúbio, o empresário Ronan Maria Pinto e o ex-secretário-geral do PT Silvio Pereira foram presos nesta fase e o jornalista Breno Altman foi conduzido coercitivamente a prestar depoimento.

De acordo com integrantes da Força Tarefa, a Carbono 14 teve como foco investigar esquema de lavagem de cerca de R$ 6 milhões “provenientes do crime de gestão fraudulenta do Banco Schahin, cujo prejuízo foi posteriormente suportado pela Petrobras”.

Durante as investigações da Lava Jato constatou-se que o pecuarista José Carlos Bumlai contraiu empréstimo possivelmente fraudulento no Banco Schahin, em outubro de 2004, no montante de R$ 12 milhões.

+JOTA: Moro aceita denúncia da fase Carbono 14 da Lava Jato

+JOTA: Publicitários investigados na Carbono 14 têm ligação com João Santana 

Para testemunha de defesa, o empresário Ronan Pinto arrolou o ex-secretário-geral do PT Silvio Pereira. No despacho em que decreta a prisão de Pereira, o juiz Sérgio Moro aponta que o ex-secretário do PT recebeu pelo menos R$ 1.125.531,7 de empreiteiras e intermediários de propina investigados pela Operação Lava Jato no esquema de corrupção da Petrobras.

Silvinho, como é conhecido, deixou a prisão no dia 5 de abril após decisão de Moro. Além do ex-secretário do PT, Ronan chamou como testemunha de defesa Kátia Aparecida de Carvalho Dias, Miguel Colicchio Neto, Leonel Parlato, Marco Antônio Cavalcanti Almeida, Elaine Mateus da Silva e Léo Juvenal Kahn da Silva.

O jornalista Breno Altman, também alvo da Lava Jato, chamou para sua defesa o diretor do Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil, Giancarlo Summa, e os jornalistas Raimundo Rodrigues Pereira, Fernando Gomes de Morais e Altamiro Borges.

Confira, abaixo, as datas e todas as testemunhas de defesa dos denunciados pelo MPF:

1º de agosto de 2016, às 14 horas, videoconferência com Lins/SP

Testemunhas:

1) José Antônio Lima (arrolado por Natalino Bertin);

2) Jeferson Leandro Furtado (arrolado por Natalino Bertin);

3) Evando Miessi Mente (arrolado por Natalino Bertin).

1º de agosto de 2016, às 15 horas, videoconferência com Rio de Janeiro/RJ

Testemunhas:

1) Giancarlo Summa (arrolado por Breno Altman);

2) Raimundo Rodrigues Pereira (arrolado por Breno Altman);

3) Abdoral Melo da Silva (arrolado por Oswaldo Rodrigues Vieira Filho).

05 de agosto de 2016, às 09:30 horas, videoconferência com São Paulo/SP

Testemunhas:

1) Fernando Gomes de Morais (arrolada por Breno Altman);

2) Altamiro Borges (arrolada por Breno Altman);

3) Paulo Frateschi (arrolada por Delúbio Soares de Castro);

4) Francisco Campos (arrolada por Delúbio Soares de Castro);

5) João Felício (arrolada por Delúbio Soares de Castro);

6) Antônio dos Santos (arrolada por Delúbio Soares de Castro);

7) Esdras Prestuspa Gonçalves (arrolado por Oswaldo Rodrigues Vieira Filho); e

8) Sílvio José Pereira (arrolado por Ronan Maria Pinto)

08 de agosto de 2016, às 09:30 horas, videoconferência com São Paulo/SP

Testemunhas:

1) José Aparecido Costa França (arrolado por Luiz Carlos Casante);

2) Luiz Henrique de Oliveira  (arrolado por Luiz Carlos Casante);

3) Wagner Castilho Rodrigues Fernandes  (arrolado por Luiz Carlos Casante);

4) Eric Mota Silva  (arrolado por Luiz Carlos Casante);

5) Sérgio Pinheiro Gonzaga de Lima  (arrolado por Luiz Carlos Casante);

6) Jaqueline Gomes Fonseca (arrolada por Luiz Carlos Casante);

7) José Eduardo Peraccini  (arrolado por Sandro Tordin); e

8) João Carlos Gimenez do Carmo  (arrolado por Sandro Tordin)

08 de agosto de 2016, às 14 horas, videoconferência com Santo André/SP

Testemunhas:

1) Kátia Aparecida de Carvalho Dias (arrolada por Ronan Maria Pinto);

2) Miguel Colicchio Neto (arrolada por Ronan Maria Pinto);

3) Leonel Parlato (arrolada por Ronan Maria Pinto);

4) Marco Antônio Cavalcanti Almeida (arrolada por Ronan Maria Pinto);

5) Elaine Mateus da Silva (arrolada por Ronan Maria Pinto);

6) Léo Juvenal Kahn da Silva (arrolada por Ronan Maria Pinto);

7) Luiz Martino Turco (arrolada por Delúbio Soares de Castro).

09, 16 e 18 de agosto de 2016, às 10 horas, para a realização de videoconferência com Brasília/DF

Testemunhas:

1) Arlindo Chinaglia – deputado federal (arrolado por Delúbio Soares de Castro);

2) Vicente Cândido da Silva – deputado federal (arrolado por Delúbio Soares de Castro);

3) Paulo Ferreira (arrolado por Delúbio Soares de Castro);

4) Nelmar de Castro Batista (arrolado por Sandro Tordin).

A Justiça Federal de Nova Friburgo (RJ) não possui tecnologia para realização de videoconferências. Assim, foi expedida Carta Precatória para a oitiva da testemunha Walter Rudi Georg Diemer (arrolada por Oswaldo Rodrigues Vieira Filho).


Cadastre-se e leia 10 matérias/mês de graça e receba conteúdo especializado

Cadastro Gratuito